Professora cria projeto coletivo de caronas a pé e recria forma antiga de ir para aula

Quem passa por alguma escola em seu caminho, sabe o drama que pode ser a hora da entrada e da saída após a aula. Aquele caos de carros, filas duplas, buzinas, funcionários tentando agilizar tudo.

Pensando em como mudar essa dinâmica pós-aula, a professora Carolina Padilha, que trabalha no 1°ano do ensino fundamental do Colégio Equipe, criou o projeto Carona a Pé.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A ideia é incentivar adultos e crianças a caminhar juntos no trajeto de casa até a escola, em um horário pré-estabelecido, seguindo uma rota determinada.

“Quando comecei a colocar a ideia no papel vi que do caminho da minha casa até a escola moravam 17 alunos. Eles poderiam ir comigo para a escola, afinal, estávamos indo todos para o mesmo lugar, no mesmo horário. Já conhecia a maioria das famílias, tenho um bom vínculo com as crianças, melhoraria o trânsito e proporcionaria uma experiência nova aos alunos: caminhar em grupo”, diz Carol ao Estadão.

Ao propor sua ideia, descobriu que muitas famílias já faziam o caminho andando.

“Caminhar pelo bairro já era uma prática de muitas famílias, principalmente na região onde a escola está localizada. O que eu fiz foi organizar e, aos poucos, ir mostrando para as pessoas que, quanto mais nos comunicamos, mais podemos aproveitar o tempo e estreitar os vínculos”, afirma.

A professora espera também mostrar com isso que a educação não deve acontecer apenas em sala de aula, mas em todos os locais que elas se encontram.

“No início, meu filho, que está no 5° ano, estava achando muito chato, tudo era motivo de reclamação. Aos poucos vi a postura dele mudando. Sente-se responsável por ser o mais velho da rota, tem um compromisso com esse grupo, está mais pontual, percebeu que não há problemas em caminhar respeitando o ritmo mais lento dos alunos mais novos, chega no horário e sente-se orgulhoso quando conta que é do Carona a Pé”, diz Diana Csillag, mãe de aluno do Colégio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Hoje, já são cinco rotas, três no período da tarde e duas de manhã, com mais de cinquenta crianças e 17 adultos participando.

“Meu desejo é que mais famílias se organizem e novas rotas surjam”, diz Carol. “Como é uma experiência nova, estamos dando um passo de cada vez e aprendendo muito com essa construção coletiva, que já revela pequenas transformações”, completa.

“Acho a iniciativa muito bacana. É possível ver uma entrada mais organizada, as crianças chegam animadas e pais que antes nem se falavam agora se conhecem, conversam e estão até mais sorridentes”, afirma Jailton de Jesus Souza, inspetor de alunos do Colégio Equipe.

“É muito mais que uma caminhada em grupo. A intenção é tornar essas crianças mais ativas como cidadãs, colocá-las juntas para olharem as belezas e os problemas do bairro e propor uma nova relação com a cidade onde vivem”, afirma Carol.

o pós aula fica mais divertido IMG-20150915-WA0005 IMG-20150915-WA0006 IMG-20151029-WA0011 IMG-20151104-WA0000 IMG-20151104-WA0001

Texto Original de Carolina Padilha – Prof.ª do 1° Ano do Ensino Fundamental I e Flávia Fontes – Mãe de aluno do Ensino Fundamental I

Imagens: Acervo do Carona a Pé

Fonte: Estadão

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,210FãsCurtir
1,759,848SeguidoresSeguir
8,611SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Fábio Assunção dá a volta por cima um ano depois de virar ‘piada’ no Carnaval

É impressionante o quanto as coisas podem mudar em apenas um ano, né? Olha o caso do ator Fábio Assunção, 48 anos. No Carnaval do...

Fotos de abelhas cansadas dormindo de “bumbum pra cima” dentro de flores viralizam

Uma série de fotos de abelhas tirando um cochilo dentro de flores com o bumbum cheio de pólen está fazendo o maior sucesso na...

No Pará, há mais de 40 anos existe um bloquinho infantil que homenageia os animais da Amazônia

Cada vez mais os blocos carnavalescos estão inovando e usando e abusando da criatividade, mas o que falar deste bloquinho infantil, do interior do...

O primeiro dia de aula do menino desnutrido que foi resgatado há um ano

O primeiro dia de aula é uma data marcante, que estabelece que seu filho(a) está crescendo e ganhando o mundo. Mas, para um menino em...

USP retira coágulo de artéria no cérebro e devolve movimentos a vítimas de AVC

Cientistas adjuntos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto desenvolveram uma técnica eficaz na redução de quase a totalidade...

Instagram