Projeto Tamar celebra 40 anos de fundação com 40 milhões de tartarugas soltas

Estima-se que apenas 1 em cada 1000 tartarugas marinhas chegam à fase adulta, isto é, quando atingem os 30 anos de idade. Assim, a sobrevivência da espécie depende bastante da sua capacidade de conseguir gerar um alto número de novas crias todos os anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Desde 1980, as espécies de tartarugas contam com um aliado fiel: o Projeto Tamar. Recentemente, para dar início à celebração de seus 40 anos de existência – a serem alcançados no próximo ano – a entidade anunciou que 40 milhões de tartarugas foram protegidas desde o início da iniciativa.

O principal braço de proteção do Projeto Tamar se encontra na Praia do Forte, em Mata de São João (BA), a cerca de 80 quilômetros de Salvador. No local, foram soltos na última sexta-feira (13), aos olhos de dezenas de turistas e moradores locais, 101 tartaruguinhas recém-nascidas.

Relacionado: Série narra a história do projeto TAMAR

projeto tamar proteção de tartarugas

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ajuda às tartarugas

O resgate e soltura dos filhotes é algo comum no litoral. Por vários motivos, elas podem não conseguir deixar a ninhada rumo ao mar e correm risco de vida.

Esse trabalho de salvamento é feito desde 1980, quando o Projeto Tamar começou. Ele teve origem em expedições realizadas por estudantes de oceanografia da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) em ilhas e arquipélagos como Abrolhos, Fernando de Noronha e Atol das Rocas. Quando presenciaram pescadores abatendo tartarugas, resolveram denunciar a situação para órgãos públicos. Na época, já havia um apelo internacional para que algo fosse feito em defesa desses animais.

Leia tambémDiego, a tartaruga de 100 anos que teve 800 filhotes e salvou sua espécie da extinção

“Depois dessas expedições, tomou-se conhecimento de uma maior ocorrência das tartarugas na costa brasileira, porque nem os nossos professores sabiam. Todos os trabalhos acadêmicos naquela ocasião reportavam outros países. E daí foi pedido que o Brasil fizesse alguma coisa. Na Austrália, na Costa Rica, nos Estados Unidos já tinham iniciativas. E os animais são migratórios, vão de um lugar para o outro, o que demanda um trabalho integrado”, diz a oceanógrafa Neca Marcovaldi, coordenadora de pesquisa e conservação do Projeto Tamar e uma das fundadoras da iniciativa.

projeto tamar proteção de tartarugas

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veio então o reconhecimento e o convite para aqueles estudantes fazerem um mapeamento das espécies que desovavam no Brasil e apontarem quais os principais problemas. “Durante dois anos fizemos um levantamento nos quase 8 mil quilômetros do litoral brasileiro”, conta Neca.

Leia também: Pai e filho criam 51 mil colônias de colmeias para salvar as abelhas da extinção

Os avanços obtidos com o mapeamento dessas espécies, anos depois, são notáveis. A iniciativa acumula prêmios e é reconhecida internacionalmente como uma das mais bem-sucedidas experiências de conservação marinha. “Se antes era necessário transportar ninhadas de tartaruga para dentro das unidades, hoje basta colocar um estaca informativa nos locais de desova que as comunidades estão conscientes da necessidade de preservar as áreas”, diz o biólogo Claudemar Santos.

A natureza agradece!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.
  • Envie sua história aqui.

Fonte: Diário do Poder/Fotos: Reprodução/Projeto Tamar

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,851,931SeguidoresSeguir
25,005SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

48 anos depois, casal de idosos se reencontra em asilo e se casa

Quem diria que depois de uma vida toda, onde você acha que tudo que já podia ter vivido já viveu, você reencontra o amor...

Famosos doam mais de 24 milhões de fãs para crianças do GRAACC

Tendo em vista que grande parte das celebridades obtém maior alcance no twitter do que em outras redes sociais, a agência Ogilvy Brasil resolveu inovar com...

Vizinhos reformam calçadas para menina com ‘ossos de vidro’ ir à escola

Os moradores de um bairro carente de Puerto Iguazú, na Argentina, reformaram várias calçadas em situação precária para uma menina com ossos frágeis ir...

O que minha mãe escreveu quando descobriu que eu era lésbica

A leitora Tayná Mirella nos presenteou com um comentário sobre o post que fizemos do pai que descobriu por acaso que o filho era...

USP cria plástico 100% biodegradável com resíduos da agroindústria

Uma equipe multidisciplinar de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto (SP) desenvolveu um tipo de plástico 100% biodegradável e economicamente...

Instagram

Projeto Tamar celebra 40 anos de fundação com 40 milhões de tartarugas soltas 1