Alunos criam prótese com materiais recicláveis para trabalhadores amputados

Estudantes de uma escola estadual no interior da Bahia transformam materiais recicláveis em prótese para trabalhadores que sofreram amputações em trabalhos com máquinas pesadas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Essa é realidade de muitos trabalhadores que usam maquinário pesado para triturar alimentos de animais, em Uauá, no sertão baiano. Seja por dificuldade ou falta de costume, são comuns os casos de amputação, segundo informações do PorVir.org.

Utilizando tubos de PVC, garrafas pet e peças de roupas como calça jeans usada, os estudantes do Colégio Estadual Nossa Senhora Auxiliadora querem oferecer próteses acessíveis a esses trabalhadores.

Leia também: Google Maps acessível: aplicativo passa a ter opções para quem usa cadeira de rodas

“Aqui acontecem muitos casos de amputação com pessoas que não possuem condições financeiras para comprar próteses”, explica o estudante Luis Eduardo Gonçalves, do 2º ano do Ensino Médio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É o caso de um vizinho de Luiz que é professor. O homem sofreu um acidente e teve que amputar o braço direito. Ele viu de perto as dificuldades da família para comprar uma prótese industrial.

Depois de fazer uma pesquisa e descobrir que as próteses custam entre 5 mil e 20 mil reais, ele os colegas começaram a trabalhar na prótese sustentável para apresentar na feira de ciências da escola.

A turma testou diferentes materiais e formatos até chegar em um modelo que foi testado justamente no vizinho de Luis. José Augusto Cardoso aprovou a prótese e sugeriu algumas melhorias.

“Há muitas diferenças entre a prótese industrial que uso e a que testei para o projeto. A industrial é pesada e nesta é mais fácil a movimentação. A [prótese que eu possuo é 500 gramas mais pesada que o baço natural”, afirma José Augusto sobre a prótese de fácil produção e baixo custo.

O professor conseguiu escrever, vestir a blusa e pegar um copo com água nos primeiros testes feitos. A prótese dos estudantes ganhou o primeiro lugar na feira de ciências do colégio. Eles também participaram da Feira de Ciências da Bahia (Feciba) e foram finalistas do prêmio Desafio Criativos da Escola em 2017. Ágora, o próximo passo dos estudantes vai consistir em melhor a estética e também a mobilidade da prótese.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

crédito da foto: Divulgação

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,646,763SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Dois pilotos gastam economias em avião para resgatar imigrantes

Pilotos juntaram seu esforço e dinheiro para comprar um avião de 150 mil dólares que será usado para resgatar imigrantes no mar.

Para superar o luto, ela escreve cartas ao seu pai toda semana

O luto é o amor sem ter para onde ir e a Lara canalizou a saudades através das cartas que escreve ao seu pai todas às quartas.

Mulheres criam movimento #jáfuijulgada para promover a empatia com as mães

Muitas vezes julgamos inadequadamente as pessoas, apenas baseados em nossos critérios individuais. Devemos evitar isso e sempre tentarmos nos colocar no lugar do outro. Toda mãe...

Fontes e bebedouros serão instalados em Londres para estimular pessoas a não comprarem garrafas plásticas

Já não é de hoje que as pessoas estão mudando de atitude em relação ao planeta e investindo em soluções mais sustentáveis. A novidade...

Casal canadense foge do casamento tradicional e sela união em Floripa

Um casamento simples, mas verdadeiro, único e romântico.

Instagram