Multidão protesta contra grupo que tentou impedir pessoas com deficiência de irem à praia na PB

Após um grupo de moradores do bairro de classe média alta Cabo Branco, em João Pessoa (PB), ter ido à Câmara Municipal para tentar impedir a frequência de pessoas com deficiência à praia, alegando “muito barulho”, centenas de manifestantes se reuniram nos arredores do bairro para protestar contra o preconceito e prestar solidariedade às pessoas com deficiência.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A repercussão negativa do caso em toda a Paraíba fez uma multidão comparecer ao Acesso Cidadão, próximo à Fundação Casa de José Américo. Os participantes atestaram o pleno direito de todos a usufruírem do banho de mar, dos jogos esportivos, lazer e cultura promovidos em Cabo Branco, o que acontece todos os sábados das 7h às 12h.

Ajude uma mãe que cuida sozinha de filhos com paralisia cerebral

manifestação pessoas rua

Diversas autoridades prestaram apoio à manifestação e criticaram a atitude da minoria de moradores do bairro em tentar impedir a livre circulação de pessoas com deficiência na praia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Estudantes constroem e doam andadores feitos de PVC para crianças com deficiência

A Prefeitura de João Pessoa é responsável pelo programa Acesso Cidadão, realizado em parceria com a organização social Acesso Social, que há seis anos proporciona cidadania a aproximadamente cem pessoas com deficiência e necessidades especiais da capital, promovendo atividades esportivas e de lazer.

Inclusão para pessoas com deficiência

“O Acesso Cidadão promove momentos de inclusão para aquelas pessoas que, por vezes, não podem entrar no mar por conta de uma limitação física, e, aos sábados, elas também entram em contato com outras pessoas que vêm aproveitar a praia e as belezas da nossa cidade. Vamos continuar o trabalho e reforçar ainda mais o acesso a quem mais precisa”, frisou Diego Tavares, secretário de Desenvolvimento Social.

O deputado federal Ruy Carneiro afirmou na passeata que está trabalhando no Projeto de Lei “Praia Inclusiva”. O PL visa alterar o estatuto das cidades, a Lei Brasileira de Inclusão e a Lei nº 10.098, de 2000, para tornar obrigatória a adaptação das praias, parques e espaços de uso público visando condições acessíveis para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

“O Projeto ‘Praia Inclusiva’, que já estamos trabalhando a algum tempo para que possamos apresentar, vem justamente para assegurar o direito da pessoa com deficiência no que se refere a inclusão. Soube com tristeza, justamente na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, do pedido das moradoras do bairro de Cabo Branco para que os deficientes deixassem de frequentar à praia e o projeto. Isso é um absurdo. Repudio todo e qualquer ato preconceituoso. E estou trabalhando para garantir isto na lei”, afirmou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veja o vídeo de manifestantes protestando contra o preconceito a deficientes visuais na praia:

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Parlamento PB/Fotos: Reprodução/YouTube Cláudia Carvalho

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,452,816SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Hospital faz sessões semanais de cinema para ajudar pacientes com câncer

Passar por um tratamento de câncer não é nada fácil física e emocionalmente. Mas cada vez mais, os hospitais aceitam alternativas para tornar esse...

Gratidão: ex-alunos se unem em vaquinha para pagar dívida de R$ 100 mil de professor aposentado

"Dinheiro nenhum no mundo é capaz de pagar o que ele fez por mim, minha família e meus amigos.”

Depois de ler, não jogue fora! Plante este jornal japonês que ele irá florescer

Isso é possível porque o papel do jornal possui sementes de plantas.

Professora doutora venezuelana recebe ajuda no Brasil e abre sala de ensino de línguas

A história da venezuelana Yhana Riobueno parece ter sido escrita por um autor de literatura sul-americano. A professora, que nasceu em Caracas e foi...

Quando deixam esse recado na conta do restaurante de uma jovem família

    "Alguém pagou nosso jantar quando éramos pais jovens, o que realmente nos marcou. O fundamento desse gesto é a boa paternidade. Continuem fazendo um bom trabalho…...

Instagram