Psicólogo de Harvard mostra que a busca pela felicidade pode ser o contrário que você imagina

O pesquisador da Universidade de Harvard Shawn Achor, especialista em investigar a conexão entre felicidade e sucesso, acredita que as pessoas podem – e devem – ser felizes. E para isso criou o Goodthink Inc., onde ele divide tudo o que descobriu em mais de 12 anos de pesquisa de uma maneira prática e interativa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O psicólogo acredita que a felicidade não é consequência do que acontece no exterior, e sim da maneira pela qual enxergamos esses acontecimentos. Ele usa os próprios estudantes de Harvard como exemplo. Apesar da felicidade por  entrar e estudar em uma das maiores instituições educacionais do mundo, pouco depois esse sentimento é totalmente engolido por problemas, dificuldades acadêmicas, reclamações, etc.

Dessa maneira, Shawn afirma que apenas 10% da nossa felicidade depende do mundo externo. Os outros 90% dependem exclusivamente da maneira como você enxerga a realidade. É como se tivessemos uma lente que condiciona a maneira que o nosso cérebro lida com as coisas. E ele vai além, afirmando que apenas 25% do seu sucesso profissional depende da sua capacidade (QI, habilidades técnicas, etc). Os outros 75% dependeriam do comportamental, ou seja, do seu nível de otimismo e da sua capacidade de enxergar desafios como aprendizados e não problemas.

Com esses exemplos, a conclusão é que devemos inverter alguns pensamentos que rondam o inconsciente coletivo e pessoal. Coisas como “se eu trabalhar muito, vou conseguir tal coisa e então serei feliz”. Até que você chega lá e descobre que a tal coisa não te trouxe a felicidade esperada. E aí?

Você precisa trabalhar a favor da felicidade, e não contra. A dica do especialista para começar a programar seu cérebro nesse novo sentido é fazer alguns exercícios durante 21 dias consecutivos. Coisas como:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

– Exercitar sua gratidão ao listar três coisas pelas quais você se sente grato todos os dias;

– Escrever sobre pelo menos uma experiência bacana que você teve durante o dia;

– Meditar e exercitar o corpo e a mente;

– Realizar pequenos atos de gentileza.

Depois de 21 dias, seu cérebro seria então capaz de enxergar o mundo de uma maneira mais positiva. Vale a pena conferir o que ele mesmo diz sobre isso no seu TED Talk (um dos mais acessados do mundo) e tirar suas próprias conclusões:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,100,260SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Biblioteca oferece serviços de saúde mental para moradores de rua; e está funcionando

Das 5.000 pessoas que visitam a Biblioteca Pública de San Francisco por dia, cerca de 15% deles são desabrigados. Depois de anos vendo estas pessoas carentes em busca de acesso...

Mãe entra em coma e acorda ao sentir seu bebê em seu colo

Seria um milagre? Para muitos foi o que pareceu, porque a possibilidade de uma mãe sair do coma tão de repente era simplesmente inacreditável....

Crianças do vídeo viral do abraço estrelam campanha para caridade

Maxwell Hanson e Finnegan McKenna são dois garotinhos que ganharam nossos corações em 2019. Agora eles estrelam a campanha da marca Boys Meets Girl,...

Garota traduz música para sua amiga surda em festival de música eletrônica

Keelin é ouvinte e Monica é Surda e as duas adoram música eletrônica. Elas se conheceram quando foram companheiras de quarto na faculdade e...

Muçulmano quebra Ramadã para doar sangue e salvar a vida de homem hindu

Por mais distintas e culturalmente antagônicas que possam ser, todas as religiões compartilham de um mesmo espírito e senso comum: o amor ao próximo,...

Instagram

Psicólogo de Harvard mostra que a busca pela felicidade pode ser o contrário que você imagina 3