Família que adotou menino com macrocefalia corre risco de perder sua guarda, pois pai amputou a perna e não pode trabalhar

0
767

Samuel é um garotinho de 4 anos de idade e foi diagnosticado com nanismo e macroefalia, quando a cabeça da criança apresenta um tamanho maior do que o esperado para a idade. O pequeno tem vivido os melhores dias da sua vida, mas eles podem estar contados.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No início do mês passado, o pai de Samuel, Wesley, foi atropelado por um ônibus enquanto andava de patins na região onde ele e sua família moram, em Salvador (BA). Infelizmente, a consequência disso foi ter uma das pernas amputadas.

Na falta de uma prótese, Wesley fica impossibilitado de trabalhar. Sem trabalho, ele corre o risco de perder a guarda de Samuel. 💔

Para que isso não aconteça, lançamos uma vaquinha na VOAA. O valor arrecadado será destinado à compra do equipamento para Wesley. Clique aqui e faça agora uma doação

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Seu desenvolvimento não pode parar!

Há quatro meses, quando foi acolhido por Wesley e Clara, Samuel não andava, usava fraldas, só se alimentava por sonda e mal falava. Hoje, ele anda, alimenta-se normalmente, é tagarela e já saiu das fraldas.

O menino já evoluiu demais com a nova família e recebe muito carinho e amor. Definitivamente, não podemos deixar que o seu desenvolvimento seja interrompido! 😭

E sabemos, caso volte para o abrigo, que crianças com alguma deficiência costumam ser preteridas na fila de adoção.

Aceitamos doações via Pix, sem valor mínimo. É fácil, rápido e seguro. Clique aqui e faça agora uma doação.

Um medo real

Wesley passou por várias cirurgias e ficou um bom tempo na UTI. A vida da família, que era estabilizada financeiramente, virou de cabeça para baixo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E como ainda estão em processo de adoção para a guarda definitiva, seu maior medo é perder Samuel. Eles não merecem passar por isso! Clique aqui e faça agora uma doação

Família que adotou menino com macrocefalia corre risco de perder sua guarda, pois pai amputou a perna e não pode trabalhar 2
Foto: Arquivo da família

O relógio não para e o desespero só aumenta

A licença maternidade de Clara vence este mês! Farmacêutica, ela se encontra em desespero, pois logo terá que voltar ao trabalho com dois PCDs em casa. É muita mudança e muita incerteza na família desde o atropelamento de Wesley.

“Eu sabia que teria uma criança PCD, adotada, que precisava de todo amor do mundo e estava pronta para isso ao lado do meu marido. Mas a vida mudou tudo, agora são dois PCDs em casa e praticamente somente eu para dar conta de tudo”, falou, preocupada.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Todo o tratamento de Wesley foi feito pelo SUS. Agora, ele conta com a nossa solidariedade para conseguir sua prótese o mais rápido possível. Quanto mais tempo demorar, maiores são as chances de dizer adeus ao Samuel.

Juntos, podemos afastar qualquer possibilidade disso acontecer! Clique aqui e faça agora uma doação. 💜

A equipe da VOAA apura todas as vaquinhas publicadas na plataforma. Acompanhamos as histórias antes, durante e após finalizar as campanhas em nossas redes sociais.

Família que adotou menino com macrocefalia corre risco de perder sua guarda, pois pai amputou a perna e não pode trabalhar 3

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.