É ela! Rayssa Leal, a Fadinha, conquista a prata no skate feminino aos 13 anos e entra para a história

O que você fazia aos 13 anos de idade? A menina de Imperatriz do Maranhão que viralizou seis anos atrás andando de skate com roupa de fadinha sagrou-se vice-campeã olímpica e se tornou a atleta mais jovem a subir num pódio defendendo o Brasil na história dos Jogos Olímpicos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O Brasil parou para ver Rayssa Leal conquistar uma medalha na final do street feminino na madrugada de domingo para segunda-feira. Atual vice-líder do ranking mundial, Rayssa entregou tudo no Ariake Urban Sports Park, em Tóquio. Conquistou a medalha de prata e fez o país inteiro vibrar!

Sabia que agora o Razões tem um livro? O Que Eu Aprendi Até Agora 50 Conselhos Inspiradores Para Uma Vida Cheia de Razões Para Acreditar! está em pré-venda até 15/08. Comprando o seu exemplar agora , ganhe um brinde especial + frete grátis, clique aqui

A medalha de ouro ficou com a japonesa Momiji Nishiya, cinco meses mais velha que Rayssa. O pódio foi completado pela compatriota Funa Nakayama.

skatista rayssa leal fadinha
Maior ídolo teen do esporte nacional que fala? Foto: Reprodução/Instagram @rayssalealsk8

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Visivelmente emocionada, a Fadinha dedicou a medalha às companheiras, Pâmela Rosa e Leticia Bufoni, que não se classificaram para a final da modalidade, e para todas as meninas do Brasil.

“Eu estou muito feliz, porque pude representar todas as meninas, a Pamela e a Leticia que não se classificaram, todas as meninas do skate e do Brasil. Poder realizar meu sonho de estar aqui e ganhar uma medalha é muito gratificante. Meu sonho e sonho dos meus pais”.

Ouro quase veio

Rayssa entrou pra valer na briga por um lugar no pódio em sua terceira tentativa de uma manobra no corrimão: recebeu nota 4.21. Ela já tinha quatro notas para compor a pontuação e, naquele momento, liderava.

Na quarta tentativa, mandou bem de novo, ganhando nota 3.39 dos juízes. Na quinta e última, errou e caiu, o que tirou sua chance de medalha de ouro.

Mas quem disse que a cor da medalha importa, não é mesmo? Ouro, prata ou bronze, poderia ser qualquer uma. O mais importante é que Rayssa Leal é nossa! Além do talento, já repararam no seu carisma? Um ídolo também é feito disso. 🥰

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

rayssa leal levanta medalha prata skate street feminino olimpíadas tóquio
Foto: Reprodução/Instagram @rayssalealsk8

Em 2015, Rayssa disse que seu maior sonho era se tornar skatista profissional. “Ganhei vários prêmios. Eu treino muito para conseguir”, revelou na época.

Hoje, o discurso é de uma menina que fez história: “Fizemos história. Eu não sei explicar tudo que estou vivendo. Só sei agradecer. Obrigada Deus. Obrigada Família, amigos. E a todos vcs que torceram muito”.

/O início do sonho

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

/Deu tudo certo

Demais, demais, Rayssa! 🛹

Quer mais uma história inspiradora? Dá o play!

Sabia que agora o Razões tem um livro? O Que Eu Aprendi Até Agora 50 Conselhos Inspiradores Para Uma Vida Cheia de Razões Para Acreditar! está em pré-venda até 15/08. Comprando o seu exemplar agora , ganhe um brinde especial + frete grátis, clique aqui

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,777,821SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Empresa envia executivos para trabalhos voluntários no mundo inteiro

A Dow, empresa do setor químico, enviou altos executivos para trabalhos voluntários no Senegal e na Índia.

Maternidade real: escritora faz sucesso na internet escrevendo cartas para a filha

A adolescência é uma fase marcada por mudanças e descobertas. O primeiro beijo, a primeira saída sem os pais, o primeiro encontro amoroso, a...

Com apenas 20 anos, indiana cria dois projetos que levam luz e vida melhor para regiões rurais

Quando a estudante universitária de 20 anos foi visitar os avós na Índia em 2010, ela notou que muitas pessoas estavam vivendo sem luz ou...

Menina trans manda recado contra o preconceito: “Eu não sou doente e você não pode me mudar”

Muitas crianças não se sentem confortáveis com o gênero que nasceram, e a maioria delas tem dificuldades para processar esse desconforto, já que a...

Jovem em SP resgata cães de rua e facilita o processo de adoção

A paixão de Esdras pelos cães começou na infância, quando tinha 8 anos. Nessa época ele levou para casa 13 cães resgatados. Ele não...

Instagram