“Dá pra reciclar tudo!”: senhora criou mais de 42 filhos com a reciclagem

A dona Tereza dá um jeito de reciclar tudo o que cai nas mãos dela, com criatividade e muito bom gosto, por sinal. Ela está mais do que certa quando diz que é possível reciclar tudo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A história de vida de Tereza, dona de um sorriso tímido, mas doce como açúcar, faz a gente acreditar naquilo que ela acredita.

A página do Facebook SP Invisível bateu um papo com a catadora de recicláveis. Tereza contou que cata tudo o que encontra. Ela não pensa duas vezes em reaproveitar coisas que para a maioria das pessoas não têm mais utilidade.

“Dá pra reciclar tudo! Nada é descartado. Essa saia, por exemplo, ela era um guarda-chuva. Olha que linda que ela é! Eu reciclo a vida toda, desde criança eu pego as coisas e criei minha família toda com dinheiro da reciclagem”, afirmou ela.

Tereza fala isso sem usar força de expressão. Ela acolheu 42 crianças e adolescentes que moravam em situação de rua. Todos eles, além dos filhos biológicos, muito bem cuidados com o dinheiro da reciclagem.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O maior sonho de Tereza é que os catadores sejam remunerados dignamente pelo trabalho deles. Alguns filhos dela viraram catadores, por isso mais do que nunca Tereza deseja salários dignos para esses profissionais, tão importantes para a sociedade. Ela também tem filhos que se formaram advogados e engenheiros.

Independentemente do caminho que cada filho escolheu, Tereza formou uma família unida, com filhos que se apoiam mutuamente. “Aí quando um precisa do outro a gente ajuda!”, disse ela toda orgulhosa da família que criou sozinha.

Confira a postagem na íntegra:

“Dá pra reciclar tudo! Nada é descartado. Essa saia, por exemplo, ela era um guarda-chuva. Olha que linda que ela é! Eu reciclo a vida toda, desde criança eu pego as coisas e criei minha família toda com dinheiro da reciclagem. Meu nome é Tereza. 
Eu cato tudo: comecei catando café quando era criança, catei latinha, plástico, pessoas… É, eu catei pessoas. Tem mais de 42 meninos que foram criados por mim que eu tirei da rua e trouxe pra casa. Além desses, tem mais os biológicos. Tudo com dinheiro da reciclagem!
Meu sonho é que os catadores sejam remunerados dignamente pelo trabalho deles. Eu fico muito orgulhosa de ver esse movimento aqui hoje porque eles estão continuando o meu sonho. Tem muito filho meu aqui, nem todos, mas tem muito menino que eu tirei da rua e hoje tá aqui lutando pelos direitos dos catadores.
Só que foi bom que nem todos viraram catadores, aí a gente consegue criar uma rede: tenho filho advogado, engenheiro, catador, tem de tudo. Aí quando um precisa do outro, a gente ajuda!”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

crédito da foto: SP Invisível/Facebook/Reprodução

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,638,512SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Rapaz com cicatriz de queimadura faz cosplay de Deadpool e diz que super-herói ajudou sua autoestima

John Quinn é um jovem que tenta levar a vida mais comum possível em Millington, no Tennessee (EUA). Só que ele tem cicatrizes de...

Casa de diarista que ganhou prêmio internacional vai participar da Bienal de Veneza 2016

A casa da diarista Dalvina Borges Ramos, 74 anos, que ficou famosa no país inteiro ao ganhar um prêmio internacional de arquitetura, estará na próxima Bienal de Veneza.

Parque suspenso em meio a Mata Atlântica é inaugurado

O Parque Ecológico Imigrantes promete ser uma nova aposta para integrar a Mata Atlântica na vida dos moradores de São Paulo e região e deve ser inaugurado dia 20 de novembro, em São Bernardo. Sendo um parque suspenso e totalmente acessível, ele deve integrar desde idosos até pessoas com mobilidade reduzida, por exemplo.

Jovem com Síndrome de Down é convidado pelo irmão para ser seu padrinho de casamento e reação emociona

Só quem tem irmãos sabe como esta relação é especial, mas a reação de um jovem com Síndrome de Down ao ser convidado pelo...

Menina de 4 anos faz cartazes com desenhos à mão para encontrar seu cãozinho

Após perder seu cãozinho de estimação, a pequena Maria Luiza Sena, de 4 anos, começou a confeccionar cartazes com desenhos à mão, feitos com...

Instagram