Após décadas de proteção, recifes de corais havaianos retornam à sua antiga glória

Clique e ouça:

Por décadas, a pesca predatória e as redes de arrasto devastaram uma imensa área de recifes de corais na região do Havaí. Dezenas de quilômetros quadrados de corais foram destruídos, afetando a comunidade ecológica e bio-marinha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Felizmente, agora, depois de anos de proteção e zelo cumpridos sob mandato federal, os cientistas veem sinais promissores de que essa área – conhecida como Cadeia de Montes Navais do Imperador Havaiano – voltou a ser ecologicamente fértil e está recuperando o que se perdeu muito rapidamente.

Por causa crescimento lento dos corais e esponjas, os cientistas levantaram a hipótese de que essas áreas, quando exploradas, levariam séculos para se regenerar.

“No entanto, a teoria caiu por terra, pois em menos de cinquenta anos, boa parte dos recifes de corais cresceu e prosperou”, disse o professor adjunto de Oceanografia da Universidade Amy do Estado da Flórida, Baco Taylor.

Após décadas proteção zelo recifes corais havaianos retornam antiga glória

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Recentemente, exploramos esses locais para ver se havia algum sinal de recuperação. Ficamos surpresos ao encontrarmos evidências muito sólidas de que diversas espécies estão retornando para essas áreas.”

Leia também: Neto leva avó para uma aventura épica após ela dizer que nunca tinha visto o mar

“Este é um excelente exemplo de como a proteção a longo prazo de áreas ambientais permite a recuperação de espécies vulneráveis”, acrescentou o professor.

Baco e sua equipe publicaram a descoberta no periódico científico Science Advances.

Após décadas proteção zelo recifes corais havaianos retornam antiga glória

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A cadeia de montanhas submersas do Imperador Havaiano se encontra no Oceano Pacífico. Entre as décadas de 1960 e 1980, a área foi um foco de pesca com redes de arrasto. A prática devastou os montes submarinos e os cientistas acreditavam que uma recuperação ecológica era improvável.

Leia também: Mergulhadores retiram mais de 1 tonelada de lixo do oceano e quebram recorde mundial

No entanto, no caso da Cadeia do Mar, há esperança. “O estabelecimento da zona de proteção nessa região manteve esses locais intocados por quase 40 anos, proporcionando uma oportunidade única de analisar a recuperação em escalas de tempo maiores.”

Após décadas proteção zelo recifes corais havaianos retornam antiga glória

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com um anúncio tão positivo, os cientistas alimentam a expectativa de que o governo norte-americano estabeleça novas áreas de proteção ambiental, onde a exploração humana seja proibida a longo prazo.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: GNN/Fotos: Reprodução/GNN

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,050,469FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
17,217SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem com deficiência humilhado por atraso de salgados se surpreende com apoio: “o telefone não para”

Coisa mais linda essa corrente de solidariedade, o Rafael tá sem acreditar! Rafael foi humilhado por um cliente que não aceitou o atraso da sua...

Cãozinho é reprovado em treinamentos da polícia por ser ‘dócil demais’

E essa carinha de: "Alguém brinca comigo, por favor!"?

Vendedor de salgados é humilhado e recebe ajuda de vaquinha que bate R$70 mil em 24h

Rafael, que só tem uma das mãos, foi humilhado por cliente que não aceitou o atraso da sua encomenda de salgados.

“Eu quito!”, diz Tatá Werneck para seguidora que desabafou sobre dívidas na pandemia

A Tatá Weneck se ofereceu para pagar as dívidas de uma seguidora depois que ela postou um meme no seu Instagram. O meme é uma...

Jovem ‘zombada’ por vender sacos de lixo para ajudar a mãe não abaixa a cabeça

A estudante de enfermagem Clara Soares, 18 anos, vende sacos de lixo e panos de chão em Ceilândia (DF) para ajudar a mãe. Enquanto batia...

Instagram

Após décadas de proteção, recifes de corais havaianos retornam à sua antiga glória 13