Refugiada aumenta vendas de esfihas após confundir pedido graças a uma corrente de solidariedade

A nigeriana Latifah Hassam ficou super contente quando recebeu um pedido de 180 caixas contendo oito esfihas cada por telefone da psicóloga carioca Fabiana Mansur para sua festa de aniversário.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Porém, no dia da entrega, Fabiana disse que não queria 180 caixas, mas 180 unidades do salgado árabe. Latifah confundiu o pedido porque ainda não domina o novo idioma. Compreensível, tanto que Fabiana foi às redes sociais para que Latifah não tivesse um prejuízo daqueles.

fabiana

O post causou uma enorme comoção e foi compartilhado mais de 800 vezes. Resultado: várias pessoas foram até o Largo do Machado, onde Latifah vende seus salgados, ainda no sábado (28), comprar as esfihas excedentes, não sobrou uma!

“Eu já tinha chorado muito. Mas a Fabiana é uma boa menina, uma ótima menina! Ela me botou imediatamente na internet e as pessoas começaram a chegar sem parar. Ficou lotado! Eles vinham, vinham, querendo comprar mais e mais, querendo ajudar. Eu fiquei feliz, os brasileiros são muito bons”, contou Latifah ao Hypeness, em inglês.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Latifah2

Ela e a flha, Thekyat, de cinco anos, chegaram ao Brasil há um ano em busca de uma vida melhor. Em 2012, o grupo terrorista Boko Haram sequestrou o marido e o filho mais velho dela. As duas vivem temporariamente em uma igreja que abriga refugiados em Botafogo, na Zona Sul do Rio.

Latifah conta que é uma cozinheira de mão cheia e que tem planos de vender comidas típicas da Nigéria futuramente, quando tiver os recursos necessários, o que não deve demorar muito, pois o episódio das esfihas ajudou a aumentar suas vendas, passando de 25 caixas diárias para 40. Ela aceita encomendas no (21) 981505137 (seja bem claro no pedido!).

Latifah3

Latifah4

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fotos: Gabo Vieira

Ei, nós do Razões estamos fazendo uma campanha de financiamento coletivo para bancarmos um vídeo do Dia dos Namorados que teve uma marca que não quis que tivessem cadeirantes. Nos ajude clicando aqui.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,646,211SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Eddie Vedder interrompe show para expulsar homem que agredia mulher

Durante uma apresentação em Chicago, nos Estados Unidos, na última segunda-feira (22), o vocalista da banda Pearl Jam, Eddie Vedder, expulsou um homem do...

Alagoana cria projeto para levar mil mensagens positivas para o mundo inteiro

Já pensou em receber uma mensagem positiva para melhorar o seu dia? Às vezes, é tudo o que precisamos para reunir forças e seguir...

Motoboy que salvou gatinho ganha curso de bombeiro civil: “É um sonho”

O curso é um antigo sonho do motoboy de 28 anos - que não precisará pagar nada por ele.

Primeira instrutora de Yoga com Síndrome de Down, Jessica Parsons oferece aulas mais inclusivas

Jessica Parsons é uma das primeiras pessoas com essa condição genética a ensinar a prática.

A música como ferramenta de inclusão social de deficientes é tema de exposição em SP

A expo “SOBRE TOCAR”, em cartaz no Armazém Piola, na Vila Madalena, desde o dia 28 de outubro, reúne imagens feitas pela fotógrafa Ilana...

Instagram