Rejeitada por ser mãe, após publicação, finalmente ela foi contratada!

“Quando eu falava que tinha três filhos, eles já mudavam o tom da entrevista”, afirmou a recém-contratada numa startup de São Paulo, Erika Candido Bezerra, 29 anos. Durante dois anos, desde que perdeu o último emprego de auxiliar de escritório, ela sofreu o preconceito nas seleções de emprego por ser mãe. “Eles já perguntavam o que faria se os meus filhos ficassem doentes”, desabafou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Erica é casada e tem filhos pequenos, um de 11, 3 e 1 ano de idade. As contas da casa estavam ficando cada vez mais apertadas! O caminho foi fazer Uber para ajudar o marido. Foi então que, há pouco mais de um mês, numa corrida, conheceu o digital influencer e empresário, André Santos.

“Eu já saía das entrevistas sabendo que não daria certo. Conversei com o meu marido e ele concordou com a ideia de trabalhar como motorista. Eu trabalhava o dia todo, com o dinheiro das corridas do dia, ia direto para o mercado comprar as coisas para a casa”, contou.

Relatando com as dificuldades de ser recolocada no mercado de trabalho, André se sensibilizou com a sua história (que, infelizmente, é igual a de milhares mães) e publicou em seu perfil no Linkedin. Em poucas horas, Erica começou a receber propostas de emprego e mensagens de mães que se identificaram com a sua situação.

post LinkedIn
Print da publicação do André Santos no Linkedin

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu não achei que ele estava dando tanta importância para o que eu estava contando”, disse.

Jovem adota idosa de 70 anos que morava em hospital e precisa de um lar para viverem. Clique aqui e contribua.

Foi então que, finalmente, no último dia 9 de agosto, Erica foi contratada! Ela começou na empresa Volanty, startup brasileira de compra e venda de carros usados. Já no processo seletivo, com o gerente Edney Ulisses Marques, 36 anos, ela nos contou que se sentiu em casa!

mulher homem escritório
Erica, recém-contratada como assistente de vendas e o gerente Edney

“Quando conheci a empresa, eu adorei. Ele foi muito receptivo comigo e quando eu disse que tinha dificuldades para voltar ao mercado de trabalho por eu ter filhos, ele contou que isso não era problema e que em sua equipe tinha mães. Foi diferente”, contou.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Vaquinha para desempregada e filha com paralisia se manterem nessa pandemia. Clique aqui e contribua.

“As mães são as minhas funcionárias mais dedicadas”

Para Edney, o fato da mulher ser mãe não era um “problema’, muito pelo contrário, é uma característica muito interessante para a empresa, segundo ele.

“Tenho mães de 5 filhos no time. As mães são mais habilidosas e comprometidas. Os gestores que vêem isso como um problema são pessoas com um estilo de gestão mais antigo, aquela gestão de manter o colaborador com medo, ao invés de mantê-lo feliz no trabalho”, disse.

Ele afirmou ainda que quando viu a história da Erica, se simpatizou com o caso dela.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Fizemos a entrevista, e deu supercerto, porque ela tem uma grande experiência nesta área. Encarei isso como uma seleção de emprego normal. Aqui não discriminamos ninguém. Contratamos muitas mães e LGBTQs”, relatou. “Aqui não rotulamos ninguém.”

razões para acreditar

Desejamos um ótimo recomeço, Erica! Parabéns!

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,842,344SeguidoresSeguir
24,826SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Novo material promete aposentar ventiladores e ar-condicionado

Estudantes do Instituto de Arquitetura Avançada da Catalunha (IAAC), na Espanha, mostraram ao mundo um protótipo de parede que promete aposentar os eletrodomésticos usados...

Cachorros dormem fora de hospital por semanas para visitar paciente

Uma história emocionante sobre fidelidade! <3

Fila enorme: centenas de pessoas se mobilizam e fazem cadastro de medula para ajudar menina com leucemia

Júlia Abrame de Oliveira, de apenas 6 anos, de Tatuí (SP), foi diagnosticada com leucemia há quatro anos. Desde então começou a fazer o tratamento. Porém,...

Em seu aniversário de 8 anos, Luara resolve doar seu cabelo para menina com câncer

Em dezembro de 2014 aconteceu uma história emocionante. Luara, de apenas oito anos, decidiu doar seus cabelos e fazer a alegria de outra criança,...

Além da borracha: saiba mais sobre esta empresa e seus negócios para um mundo melhor

Uma das lembranças da minha vida escolar sem dúvida é a imagem do "homenzinho" que tinha na minha borracha branca. Sempre que vejo uma...

Instagram

Rejeitada por ser mãe, após publicação, finalmente ela foi contratada! 3