Repórter mirim denuncia ruas esburacadas com um microfone de isopor e um celular

Mirella Archangelo, de 11 anos, fala como uma repórter experiente. Sem papas na língua, sua abordagem é direta e precisa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com um microfone de isopor e um celular, a repórter mirim denuncia problemas do bairro onde mora, em Ribeirão Preto (SP). Ela já fez três vídeos, todos gravados pela mãe dela. O primeiro viralizou e chamou a atenção de emissoras de TV.

O microfone foi um presente de aniversário, que Mirella soube aproveitar para cobrar da prefeitura uma solução imediata para as ruas esburacadas. “Quando chove fica tudo alagado, e quando está seco fica cheio de pedra e poeira”, disse a mãe de Mirella, a tatuadora Amanda Salles.

O primeiro vídeo foi gravado uma única vez, sem ensaio: Mirella seria a repórter e o irmão cairia de bicicleta, para dar ênfase aos acidentes causados pelos buracos nas ruas. A mãe compartilhou o vídeo no grupo do WhatsApp da família, nas redes sociais e depois no WhatsApp de um jornal local, que quis conhecer Mirella.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mirella conta que o vídeo mudou seus planos para o futuro. Até então, ela sonhava ser professora, mas agora quer seguir a carreira de jornalismo, afinal, ela leva jeito para a coisa. “Gostei muito do que falei, e vou ajudar melhor o próximo se divulgar as informações.”

Ela já é conhecida na rua onde mora e até foi ‘convocada’ por um vizinho para gravar um vídeo denunciando um vazamento de água. Na escola, todos conhecem a jornalista mirim e dizem que é para ela continuar as gravações.

Depois do primeiro vídeo, a Prefeitura de Ribeirão Preto deu um prazo de 45 dias para tapar os buracos na rua. Porém, passado esse período, os buracos continuam lá, causando transtornos aos moradores do bairro. Em outro vídeo, indignada com o descaso, a garota levantou a voz e disse: “Será que vou ter que deixar meu jornalismo de lado para virar prefeita?”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma emissora de TV local voltou ao local novamente para mostrar que nada foi feito, com Mirella como repórter. “Foi muito bom conhecer os que eles usam. Usei o ponto eletrônico e ouvi as conversas dos jornalistas, sabia quando estava em comercial e quando era para a gente entrar ao vivo.”

No perfil da garoto no Facebook, gerenciado pela mãe, há fotos de Mirella com os irmãos e a equipe do jornal. O jornalismo está no DNA da família: Peterson, de 8 anos, adora fotografar e brinca com uma filmadora de papelão. Os outros irmãos são Pablo, também de 8 anos, e Marjorie, de 6. A mãe filma os quatro, inclusive a encenação de Peterson como cingerafista.

Com informações do Metro

foto de capa: reproduçao

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,844,630SeguidoresSeguir
24,854SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após choque e queda, “rivais” se ajudam a levantar e terminam prova abraçadas

A neozelandesa Nikki Hamblin e a norte-americana Abbey D’Agostinho protagonizaram uma das cenas mais emocionantes da Olimpíada do Rio de Janeiro. Durante a semifinal dos...

Um sem-teto que ganha a vida vendendo livros usados e se recusa a pedir esmola

Mostramos recentemente aqui no RPA a história do ex-catador de lixo que tornou-se médico com a ajuda de livros encontrados nas lixeiras que, relembre...

Conheça a transexual que rompeu as barreiras de preconceito se tornou uma referência

Kiki Pais de Sousa nasceu menino, filho único de uma família tradicional portuguesa, e desde cedo teve o apoio da família, não sendo criticado pelo...

Lembram do Tamagotchi? Brinquedo dos anos 90 volta com uma edição especial

Será que essa moda vai pegar pela segunda vez? Com vendas limitadas, o brinquedo da fabricante japonesa Bandai já está a venda no Estados Unidos...

Instagram

Repórter mirim denuncia ruas esburacadas com um microfone de isopor e um celular 4