Empresa realiza oficina de Libras para integrar colaborador deficiente auditivo

Auxiliar e deficiente auditivo, Alisson Teles da Silva desenvolve mais seu potencial após colegas começarem a aprender Libras.


empresa realiza oficina libras promover integração funcionário surdo
PUBLICIDADE ANUNCIE

Quanto custa um sorriso ou a representatividade de uma pessoa? Para Alisson Teles da Silva, um gesto significa muito. Deficiente auditivo, o jovem ingressou há sete meses como auxiliar de estoque na Nissei, uma rede de farmácias. Ali, encontrou pessoas que se dispuseram a aprender Libras para facilitar sua ambientação.

A partir da entrada do jovem e de mais uma colaboradora, a equipe de RH teve a ideia de promover uma oficina básica da Língua Brasileira de Sinais aos colaboradores do administrativo e Centro de Distribuição. A iniciativa tem sido um sucesso: tornou o jovem muito mais participativo em reuniões do trabalho e na comunicação diária com os colegas.

Ajuda para mãe que cuida sozinha de quatro filhos com paralisia cerebral

empresa realiza oficina libras promover integração funcionário surdo

“O Alisson é um menino retraído, mas muito esforçado”, elogia Francileia Gusso Kogin Ivanski, assistente de RH das Farmácias Nissei. “Para muita gente, esse nível de comunicação tem um significado normal na vida, da rotina do dia a dia. Mas, para quem é deficiente auditivo, um gesto de ‘bom dia’ muda vidas. Isso é representatividade.”

Leia também: Startup brasileira possibilita atendimento em Libras por videoconferência

Cumprimentos, pedidos de licença, questões que envolvem acolhimento e respeito e indicações no trabalho são apenas alguns dos sinais aprendidos na oficina, que auxilia na comunicação do dia a dia na empresa com os deficientes auditivos. É jogar luz à realidade de 9 milhões de brasileiros que vivem nesta situação, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o correspondente a 5% da população.

empresa realiza oficina libras promover integração funcionário surdo

PUBLICIDADE ANUNCIE

Já para Alisson – que se mostra disposto e feliz em poder passar seu conhecimento de Libras aos parceiros – as oficinas se tornaram uma oportunidade de ampliar o ensino além dos gestos simples. “Há muitas pessoas aqui interessadas em aprender mais sobre a linguagem”, conta ele, por meio de sinais.

Leia também: Com ajuda de intérprete de libras, pais surdos acompanham parto em Catanduva (SP)

Conhecimento para alterar o meio e promover a empatia

Marcelo Martins, encarregado do estoque em que Alisson trabalha, precisava recorrer com frequência a um caderno ou prancheta para entrevistar, por escrito, os candidatos pré-selecionados pelo RH e isso não é mais assim. Na vida dele, também, as coisas mudaram para melhor nesse sentido.

“Parece uma coisa simples, mas em uma ida ao mercado consegui me comunicar com um empacotador. Disse, na linguagem de sinais, ‘obrigado’. Ele se emocionou em ser compreendido e me retribuiu com outro agradecimento. Precisamos de mais ações na sociedade como esta da Nissei”, conta ele, emocionado.

empresa realiza oficina libras promover integração funcionário surdoPequenas atitudes representam muito. “É muito mais do que aceitar a diferença. Trata-se de tentar alterar o meio para promover a empatia pelo próximo”, frisa Camille Holmer, diretora de RH da Nissei. Uma das novidades, nesse sentido, foi o vídeo em Libras enviado pelo RH da rede comunicando uma nova colaboradora de sua admissão.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fotos: Divulgação

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar