fbpx

Maju Coutinho será a primeira mulher negra na bancada do Jornal Nacional


Maju Coutinho será a primeira mulher negra na bancada do Jornal Nacional
PUBLICIDADE ANUNCIE

A jornalista, apresentadora e comentarista Maju Coutinho, de 40 anos, será a primeira apresentadora negra da história do Jornal Nacional, da Rede Globo, o noticiário de rede aberta mais assistido da América Latina.

O anúncio pegou a todos de surpresa – muitos internautas comemoraram a promoção de Maju no telejornal e enfatizaram a importância histórica do acontecimento.

Apesar de ser um dos noticiários mais longevos da televisão – foi veiculado pela primeira vez em 1969, cinquenta anos atrás, – o Jornal Nacional demorou para emplacar mulheres em cargos relevantes, como repórter, apresentadora ou editora. Vale lembrar que o telejornal foi apresentado por vários anos por uma dupla de homens: Cid Moreira e Sérgio Chapelin.

De fato, a primeira mulher a apresentar o JN foi Márcia Mendes, mas apenas como substituta provisória, por um dia, em 8 de março de 1972, na ocasião, no Dia Internacional da Mulher.

Leia tambémPersonagem negra e defensora dos animais estreia nas histórias da Turma da Mônica

A primeira âncora feminina foi admitida 20 longos anos depois, em 1992, com Valéria Monteiro, que saiu do telejornal no ano seguinte.

A partir de 1996, após mudanças dentro da equipe executiva e editorial, o JN passou a ser formado sempre por uma dupla (um homem e uma mulher) como âncoras do noticiário.

Falando de representatividade, houve morosidade também na primeira aparição de uma mulher negra, Glória Maria, como repórter de uma matéria em 1977.

Maju Coutinho será a primeira mulher negra na bancada do Jornal Nacional
Foto: Reprodução / Arquivo Globo

Em 2002, Heraldo Pereira foi o primeiro homem negro a apresentar o JN, atuando como substituto dos âncoras. Mais recentemente, o conceituado jornalista participa dos rodízios de apresentadores.

Maju Coutinho será a primeira mulher negra na bancada do Jornal Nacional
Foto: Reprodução / Arquivo Globo

Por fim, 17 anos depois, Maju Coutinho se torna a primeira mulher negra a apresentar o maior telejornal do país.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Trajetória

Maria Júlia Coutinho iniciou sua carreira no jornalismo em 2005, trabalhando para o “Jornal da Cultura” e o “Cultura Meio-Dia”, ambas atrações da TV Cultura.

Chamando atenção da Rede Globo, em 2007 foi contratada como repórter. Em 2013 passou a apresentar a previsão do tempo nos folhetins da emissora, a incluir o Jornal Nacional, lugar onde conquistou notoriedade por suas interações com William Bonner.

Maju Coutinho será a primeira mulher negra na bancada do Jornal Nacional
Foto: Reprodução / YouTube

Um passo adiante, em 2017 passou a trabalhar no rodízio de apresentadores do Jornal Hoje, sempre aos sábados.

Agora, a apresentadora paulista dá um salto, sendo convidada a apresentar o JN.

Racismo

É interessante relembrar que Maju Coutinho foi alvo de comentários racistas nas redes sociais em 2015, que provocaram repulsa em grande parte da população do país.

À época, a hashtag #SomostodosMaju foi levantada na internet e ganhou ampla repercussão. O caso foi exposto no Jornal Nacional pelos âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos com a presença da própria Maju.

Na ocasião, ela foi cirúrgica: “Os preconceituosos ladram, mas a caravana passa.”

Leia tambémGame de produção nacional coloca mulher negra e nordestina como heroína

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Na Telinha
Foto de capa: Reprodução / Na Telinha

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar