Soldado gay recebe permissão para se casar usando farda de gala da corporação


PUBLICIDADE ANUNCIE

O soldado Miguel Martins, de 29 anos, é o primeiro a receber autorização para se casar usando a farda de gala da Brigada Militar. Ele trabalha no 1º Batalhão de Patrulhamento de Áreas de Fronteira, em Uruguaiana, na fronteira do Rio Grande do Sul com a Argentina e o Uruguai.

Agora, ele vai poder oficializar a união com o modelo Diego Souza, de 21 anos. O primeiro passo já foi dado. “Já protocolei o requerimento solicitando permissão para usar a farda no dia do meu casamento”, conta Miguel ao Correio do Povo.

Segundo o comandante do Batalhão, tenente-coronel Roberto Ortiz Pereira, não há nenhum impedimento para a realização da cerimônia. O uso da farda é uma prerrogativa da função exercida pelo soldado, portanto, não faz sentido negar esse direito ao soldado. “Por enquanto não houve impedimentos. Meus superiores e meus colegas de farda me apoiam”, diz.

PUBLICIDADE ANUNCIE

12063693_1049780425054377_7312823867703697981_n

Ser homossexual não denigre a imagem da corporação. O que denigre é ir fardado à zona do meretrício ou fazer ingestão de bebidas alcoólicas usando a farda”, ressalta.

O soldado conta que assumiu a homossexualidade para os familiares e amigos quando tinha 20 anos. Mas, na corporação, isso só aconteceu aos 23 anos. “Entendi que não havia motivos para esconder minha sexualidade aos meus colegas”, explica, acrescentando que nunca sofreu preconceito.

“Nunca fui desrespeitado ou alvo de piados por ser um PM homossexual. Já efetuei diversas prisões e sequer os criminosos fizeram deboche.”

Fotos: Miguel Martins/Arquivo pessoal

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar