Ri Happy se comove com pedido de mãe e presenteia menina com microcefalia com brinquedos para seu desenvolvimento

“Mandei e-mail pra outras fábricas de brinquedo, mas não consegui”, diz Fernanda de Souza, mãe da Mellanie, de 4 anos, que nasceu com microcefalia. Mas seu apelo não foi ignorado pela Ri Happy, que não pensou duas vezes em presentear a menina com vários brinquedos especiais que podem ajudar no seu desenvolvimento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mell foi diagnosticada com microcefalia quatro meses após o seu nascimento. A doença não está relacionada ao Zika Vírus, mas a uma infecção de Fernanda durante a gravidez causada pelo citomegalovírus (CMV), que pode deixar sequelas no feto. Mell não anda, não fala e enxerga pouco.

“O que me passou pela cabeça é que, ‘como pode ser possível?’, sendo que eu fiz o pré-Natal e me cuidei pra não ser picada pelo mosquito, pois quando a Mell nasceu, estava tendo aquele surto do Zika Vírus. No começo, eu não aceitei. Fiquei bem depressiva, triste e chateada. Mas hoje eu estou em paz”, conta Fernanda.

Fernanda trabalhava no setor de eventos, mas precisou largar o emprego para cuidar da Mell em tempo integral. Até pensou em contratar uma cuidadora, mas o tempo foi passando e concluiu que não teria coragem de deixar a filha com mais ninguém, além dela e do marido, principalmente depois que Mell começou a ter episódios de convulsão.

menina com microcefalia sentada em cadeira de rodas e sorrindo
Apesar de tudo, Mell é uma criança sorridente. Foto: Fernanda de Souza/arquivo pessoal

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Poucos recursos

O marido de Fernanda também trabalha com eventos, mas com tudo parado por conta da pandemia do novo coronavírus, ficou sem trabalho, e a situação financeira da família ficou ainda mais complicada. Mell recebe um benefício do governo, que Fernanda usa para cuidar da filha e para despesas da casa.

“Tem hora que eu fico bastante triste porque queria dar uma qualidade de vida melhor pra ela. Hoje, a Mell não tem fono porque eu não posso pagar e o SUS não oferece. A fisio dela é uma vez por semana durante quarenta minutos. O certo era ela fazer todos os dias, ou então, três, quatro vezes por semana, de uma a duas horas”, diz.

fisioterapeuta faz massagem em menina com microcefalia deitada
Foto: Fernanda de Souza/arquivo pessoal

Com o orçamento apertado, Fernanda depende de doações para dar o melhor acompanhamento possível à Mell. A menina nasceu com dois cistos no cérebro. Felizmente, a Prefeitura de Bragança Paulista, onde a família mora, bancou um exame que ela precisava fazer no valor de R$ 5 mil. Mell ainda tem uma luxação no quadril e precisa de uma cadeira de rodas que custa R$ 17 mil.

E-mail para a Ri Happy

No e-mail, Fernanda pedia a doação de um brinquedo com luzes e sons, além de um tapete tatame, recomendado tanto pelo neurologista, quanto pelo fisioterapeuta da filha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Depois que eu mandei o e-mail, não demorou muito, eles entraram em contato. Na hora, eu não acreditei. Falaram que iam fazer o possível porque o intuito deles é ajudar quem precisa. Eu falei, ‘meu Deus, eu não acredito’. A gente conversou e a minha reação foi de pulos de alegria”, conta.

Para a surpresa de Fernanda, a RiHappy presenteou Mell com muito mais! A marca enviou um kit de brinquedos completo para o seu desenvolvimento.

Veja o vídeo:

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar)

 

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,234,546SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Com vaquinha do Razões, pedreiro reconstruirá casa que perdeu em incêndio ao lado de seu cão

A vaquinha do pedreiro Alcides arrecadou um pouco mais de 45 mil reais e agora ele reconstruirá sua casa ao lado do seu cão Quinho.

Menina vira melhor amiga de idoso e o cura da depressão

Viraram melhores amigos. 🙂

Cãozinho ‘mijão’ do WhatsApp é adotado pela sua ‘vítima’

Depois de ficar indignado, rapaz adotou cãozinho que urinou nele.

Brasileiros vão contar histórias de indianos que estão fazendo diferença nas suas comunidades

Há 3 anos, os cineastas brasileiros Lara e Patrick partiram em uma viagem rumo à Índia, que marcaria para sempre suas vidas. “Escolhemos a...

Empresa doa ferramentas para pedreiro que foi roubado duas vezes voltar a trabalhar (DF)

Sabe aquele ditado que diz que não há males que não venham para o bem? Foi assim com seu Nilton Evangelista Alves, um pedreiro...

Instagram