Conciliando trabalho na roça com os estudos, jovem é aprovado em medicina

Se já é difícil passar no vestibular de medicina estudando nos melhores colégios e cursinhos, imagine para um trabalhador rural que se desdobra entre os trabalhos na roça e os estudos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas, Jéferson César provou que isso é possível com a aprovação no curso de medicina da Universidade Federal de Campina Grande, na Paraíba.

A vitória de Jéferson veio quase quatro anos depois dele concluir o ensino médio na Escola Estadual Antunes Bezerra, em 2012. Desde então ele concilia os estudos com o cuidado dos animais e plantações do sítio da família.

Ele teve que adiar o sonho da universidade por causa das fortes secas que atingiram a região e que diminuíram os ganhos familiares.

“Desde os cinco anos, lido com palma, capim, feijão e milho e tiro leite de vaca. Mas a seca foi a pior que já vi no Nordeste, não tinha como meus pais me ajudarem em outra cidade. Nem tentei. Fiz Física, porque era em Pesqueira, aqui perto, e passei. Agora, com as coisas melhorando, tentei, mas achando que seria minha primeira tentativa, porque muita gente que quer ser médico tenta muitas vezes, né?”, relata Jéferson, que acaba de trancar a licenciatura em física, no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE), no 7° período, de um total de 8. “Não era o que eu queria”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Jéferson descobriu o que queria entre os 10 e 12 anos vendo as dificuldades enfrentadas pela família que não tinha acesso a unidades de saúde. Ele acordava às 5h para trabalhar no campo até às 10h. Depois, voltava para casa para almoçar e estudar antes de retornar ao trabalho, às 14h.

À noite, ele ia para o curso de física em uma cidade vizinha, de onde retornava às 22h30 e estudava mais uma hora para a prova do Enem. “Não dava para fazer mais que isso, senão só dormiria 5h e acabava atrapalhando tudo”. Para contornar a falta de tempo, improvisava: “Eu aproveitava o silêncio do campo e, enquanto tirava leite das vacas, ouvia umas 2h, 3h de videoaulas no celular. Isso facilitou”, diz, sorrindo.

20160205082059694447u

via [Correio Braziliense]

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,493,634SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Menina vende limonada para combater exploração infantil, arrecada 300 mil reais e muda milhares de vidas

Veja como a gente não pode se conformar com as injustiças do mundo e precisa reagir pacificamente, com atitudes positivas. O exemplo vem de uma...

Com ajuda de vaquinha, protetor que alimentava animais de rua a pé compra seu carro!

A história do Adriano é maravilhosa! Ele percorria longas distância andando ou pedalando apenas para ajudar animais de rua, em Rio Claro (SP). Nós fizemos...

Mesmo sofrendo bullying, menino deixa cabelo crescer para fazer perucas a crianças com câncer

Quais eram suas preocupações aos 8 anos? Para o jovem morador da Flórida, nos Estados Unidos, Christian McPhilamy, era deixar seu cabelo grande o suficiente para poder...

Vaquinha para motoboy com perna fraturada bate meta em 3 horas e arrecada mais de R$ 80 mil

Vocês são surreais!!! Em apenas três horas no ar, a vaquinha da VOAA para o motoboy Alex da Silva, 35 anos, que tem feito...

Vídeo mostra grupo de chimpanzés vendo a luz do dia pela primeira vez em suas vidas

Um grupo de chimpanzés ficou décadas em um laboratório – alguns deles por 30 anos – e o flagrante é da primeira vez que...

Instagram