Roubar comida não será mais crime na Itália

Quantas vezes já não ouvimos falar de pessoas que foram presas por furtar comida? É um absurdo que isso ainda seja crime em vários países. Prender uma pessoa por que ela precisou roubar um alimento para saciar sua fome e poder sobreviver é um atentado à humanidade inteira.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

OSTRIAKOV4

Mas, um caso que aconteceu na Itália abre um precedente para rever esse tipo de condenação. A Suprema Corte do país anulou a condenação do romeno Roman Ostriakov, preso por roubar queijos e salsichas no valor irrisório de 4 euros. Os juízes concluíram que Ostriakov levou os alimentos pela necessidade básica de se alimentar, e não considerou isso um crime.

Leia também: Itália segue o exemplo da França e discute lei contra desperdício de alimentos e remédios

O “furto” aconteceu em 2011, quando o romeno, morador de rua, tentou sair de um supermercado tendo pago apenas alguns pães, mas não pelo queijo e as salsichas que carregava. Ele foi denunciado por um cliente que viu a cena e detido por um segurança. Quatro anos depois, Ostriakov acabou condenado a seis meses de prisão e a uma multa (pasmem!) de 100 euros.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

OSTRIAKOV1

Elogiada pelos principais jornais da Itália, a decisão da Corte demonstrou que o direito à sobrevivência deve prevalecer sobre o direito à propriedade. De acordo com os jornais, nesse momento de forte crise econômica que o país atravessa, é de extrema importância que valores humanos sejam lembrados, respeitados e defendidos.

Vocês hão de concordar que muito pior do que roubar uma quantidade pequena de comida é deixar essas pessoas morrerem nas ruas de fome!

OSTRIAKOV3

Morador de rua na Europa. “Trabalho por comida”, diz o cartaz
Morador de rua na Europa. “Trabalho por comida”, diz o cartaz

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Via

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,835,148SeguidoresSeguir
24,725SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria canal para falar de doença pouco discutida do ponto de vista do paciente

Vendo que tinha pouco conteúdo sobre a patologia na nossa língua, ela decidiu criar um canal “3.000 Dias”, no YouTube, para esclarecer outras pessoas que sofrem da mesma doença que ela.

Banca de frutas e legumes na beira da estrada cobra o que você achar justo pagar

Em Erechim, no Rio Grande do Sul, o hortifrutigranjeiro testa, e celebra, a honestidade das pessoas: pague o que achar justo.

Papai Noel se emociona com pedido de pai que perdeu filho bebê: “O Natal pode ser difícil para algumas famílias”

O Papai Noel Caleb Ryan Sigmon, que trabalha em um shopping em Athens, Georgia (EUA), se emocionou com o pedido de um pai que...

Avó com Alzheimer lembra da neta e lhe dá uma ‘nota’ de R$ 20,00

"O dinheiro era de brinquedo, ela tem um punhado e acha que vale, mas eu sei que a intenção dela foi a mais verdadeira possível.”

Bilionário egípcio negocia a compra de duas ilhas na Grécia para abrigar refugiados

Mostramos aqui o multimilionário que está usando sua fortuna para ajudar refugiados e hoje outra pessoa que podia estar lá, em sua vida confortável...

Instagram

Roubar comida não será mais crime na Itália 3