Sargento supera desconfiança e vira regente de orquestra em favela no Rio

Para o sargento José Ricardo Moreira da Silva, a música tem o poder de “abrir novos horizontes”, especialmente para aquelas pessoas cujas oportunidades de expandir seus horizontes são limitadas, como as crianças e adolescentes da Vila Kennedy, comunidade localizada na Zona Oeste do Rio.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em 2015, ele recebeu a missão de montar uma orquestra na comunidade, a fim de encurtar a distância entre os moradores e a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do local. As aulas – abertas a pessoas de todas as idades – são ministradas no Teatro Mário Lago, vizinho à sede da UPP. Atualmente, cerca de 90 crianças e adolescentes fazem parte da primeira orquestra da favela, segundo informações do portal EXTRA.

sargento-orquestra-crianças-vila-kennedy-rio-janeiro
O regente ministra as aulas no Teatro Mário Lago. Foto: Guilherme Pinto/Agência O Globo

O programa é dividido em aulas teóricas, lecionadas às segundas e terças-feiras, de manhã e de tarde, e práticas, realizadas às sextas-feiras. Qualquer pessoa pode participar – moradores de outras comunidades são bem-vindos – e não há limite de idade.

A ideia da orquestra foi do agitador cultural Binho Cultura e do capitão Carlos Pimenta Jr, subcomandante da Companhia de Músicos da Polícia Militar. Silva era a pessoa ideal para tocar o projeto, pois estudou em escola pública e entrou na PM com o desejo de fazer ações sociais com a música.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

sargento-orquestra-crianças-vila-kennedy-rio-janeiro
Foto: Guilherme Pinto/Agência O Globo

Os 50 músicos que hoje compõem a orquestra são formados pelo sargento Silva, com a colaboração do soldado Thiago Brito Corrêa, que garante: o regente não faz o estilo “sargentão”, pelo contrário, é um “amigaço” dos seus pupilos.

Essa amizade foi construída com o tempo. A desconfiança dos alunos, pelo fato do professor usar uma farda da Polícia Militar, foi ficando para trás com a convivência diária, sem queimar etapas: cada um respeitando o espaço e a vivência do outro – a orquestra toca Mozart, mas também toca Anitta e Maiara e Maraisa. Mais do que uma orquestra, eles podem dizer que são uma família!

Interessados em integrar o projeto ou fazer doações podem ligar para 2333-5408 ou 2333-5407.

Foto de capa: Guilherme Pinto/Agência O Globo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Leia também: Mulher convida policial que a prendeu para sua graduação da faculdade e faz homenagem

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Sargento supera desconfiança e vira regente de orquestra em favela no Rio 1

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,983,904SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Restaurante decidiu contratar “vovós” e agora tem a melhor comida caseira

Não precisamos nos deslocar para um restaurante mundialmente reconhecido para desfrutarmos de uma refeição deliciosa - às vezes tudo que precisamos fazer é visitar...

Marca gaúcha de sapatos 100% veganos chega em São Paulo

Os tecidos são feitos com tinta à base d’água e a partir da reciclagem de garrafa PET.

Ativista de 16 anos é indicada ao Nobel da Paz por luta contra mudanças climáticas

A sueca Greta Thunberg, incomodada com a inércia dos políticos em relação ao aquecimento global, resolveu protestar sozinha com um único cartaz na mão. Era...

Policial adota bebê de sem-teto e usuária de drogas

O policial já era pai de três filhas biológicas, mas abriu seu coração com o apoio incondicional de sua esposa.

Jovem com paralisia cerebral se emociona com irmã recém-nascida no colo; assista

O vídeo de um adolescente de 15 anos se emocionando ao pegar a irmã recém-nascida pela primeira vez no colo causou comoção nas redes...

Instagram

Sargento supera desconfiança e vira regente de orquestra em favela no Rio 2