Abatido e “de luto”, médico pede testes com substância que pode combater o câncer


PUBLICIDADE ANUNCIE

Na quinta-feira (1/10), antes de um encontro com parlamentares em Araraquara, no interior de São Paulo, o médico e pesquisador Renato Meneguelo comentou o vídeo em que apresenta documentos sobre os estudos com a fosfoetanolamina sintética, composto que era distribuído gratuitamente no campus São Carlos da USP.

“A gente tem que lembrar de uma coisa. Nós estamos na contramão do que existe na pesquisa hoje em dia sobre câncer. Nós estamos pesquisando um outro lado. Porque, quando todos pensam a mesma coisa, ninguém, ninguém pensa grande coisa”, diz Meneguelo na gravação, que vem repercutindo nas redes sociais.

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) suspendeu autorizações de entrega das cápsulas para pacientes que usavam o composto alegando que “não há nenhuma prova de que, em humanos, a substância reclamada, que não é um remédio, produza algum efeito no combate a doenças”.

A reunião que os pesquisadores Meneguelo, Chierice e Marcos Vinicius de Almeida fizeram com o senador Ivo Cassol (PP-RO), os deputados estaduais Roberto Masafera (PSDB-SP) e Rodrigo Moraes (PSC-SP) foi para acertar a apresentação do composto em uma audiência pública na capital Brasília (DF) e agilizar a realização de testes clínicos.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Segundo Meneguelo, o grupo propõe um novo caminho para a cura do câncer, principalmente naqueles casos em que os tratamentos tradicionais não surtiram o efeito esperado e o sistema imunológico do paciente continua funcionando.

“A fosfoetanolamina sintética é um composto, não um remédio. Só vai ser remédio depois que tiver liberação e não estou falando para trocar o que está estabelecido na literatura pelo que é experimental. Estamos propondo algo para quando todas as armas já tiverem sido usadas”, afirmou. “Não estamos pedindo dinheiro, estamos pedindo estudos. Querer elevar o nível da pesquisa, acham que isso não vale a pena?”.

No vídeo a seguir, Meneguelo fala mais sobre o composto e a polêmica envolvida em torno dele:

Foto: Reprodução/TouTube

via [G1]

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar