Médico receita plantas medicinais para curar doenças em Florianópolis


PUBLICIDADE ANUNCIE

O doutor Murilo Leandro Marcos, 30 anos, médico da família no Centro de Saúde da Lagoa da Conceição, em Florianópolis, não é um médico “comum”, imaginem que os remédios que ele receita para os pacientes não são fabricados em laboratório, e tão pouco vendidos em farmácia.

Ele receita, por exemplo, alecrim para curar a depressão, para desobstruir o nariz ele indica hortelã, para melhorar a pele o indicado é a babosa e para relaxar umas folhas de lavanda, dentre outros “remédios” que Dr. Murilo receita.

Na recepção, os pacientes têm a disposição um vaso cheio de ervas, folhas e frutas que tem o poder de curar e prevenir doenças. Grande parte é plantado e colhido no jardim da unidade, um trabalho conjunto realizado entre o próprio médico, os funcionários do posto e a comunidade local, que já existia há pouco mais de 3 anos, mas voltou a ganhar força ano passado. Na plantação é possível muitas verduras, várias plantas e flores.

No consultório tem paredes lilás, plantinhas, mel, mandala e uma grande disposição de ouvir cada caso dos pacientes com muita atenção, que vão desde as dores do corpo às dores da alma.

“Cada caso é avaliado individualmente, vejo todo o contexto, a família, o local onde vive. Com isso busco um equilibro entre a medicina tradicional e a moderna, e a cultura do bairro aceita muito bem. Os remédios tradicionais têm muitos efeitos colaterais, e as pessoas já viram que um chá pode ser muito potente” – explica o Dr. ao Diário Catarinense.

16755579

As práticas integrativas desenvolvidas na unidade são todas regularizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo do médico e da equipe é transformar o posto em exemplo para todo o Brasil:

“Os moradores podem fazer acupuntura e outras terapias alternativas, participar de grupos de gestantes, fumantes, e isso envolve toda a comunidade. Futuramente queremos construir uma tenda de integração no espaço que temos no jardim, e a associação de moradores já avisou que vai contribuir” – conta.

O médico também é ligado às artes e fez uma literatura de cordel e ganhou o primeiro lugar no Concurso de Contos do 11º Congresso de Medicina de Família e Comunidade, realizado em Brasília no ano de 2011. Os versos narram todos os desafios enfrentados para aos poucos conseguir introduzir um sistema mais humanizado na cidade com forte cultura alemã.

Assista ele em uma apresentação aqui: (ou leia o conto abaixo do vídeo)

PUBLICIDADE ANUNCIE

Da ilha da Magia no litoral, de um universo multicolorido e pluricultural
Pras terras de água clara e gelada
Logo que na serra chegou, o doutor encontrou muita barreira
Tinha médico conservador e prevenção era besteira
A população desconfiava, pouca gente acreditava
Que era o doutor, pessoa matreira
A palavra do doutor meio hippie era sempre duvidosa
Além das coisas natureba
Pra ferida tinha babosa
Pra dormir chá de pitanga
Se era sossego, usava lavanda
Pra desestressar caipira nervosa
Anunciavam que não era médico pois só receitava chá
Tinham outros que diziam ser nutricionista
Já que orientava um bom alimentar
Tinha ainda quem dizia:
“Esse médico é uma porcaria, pois para dor manda caminhar”
No começo pensava acochichado
Como é que faria pro trem acontecer
Praquele povo durinho e travado
Descobrir a beleza do povo se mexer
Iniciou então um grupo de caminhada
E a população que se dizia cansada
Se deliciava com o corpo amolecer
O doutor se aprochegava
Devagarinho com um papo diferente
Dizendo que remédio não era alimento
E caminhada era bom pra mente
Segui firme na intenção
De diminuir o tamanha da prescrição
Dos tarjas-preta que deixam demente
Havia na cidade um parque de água quentinha
Pouco usado depois de janeiro Já o busão da estudantada
Ficava parado o período de aula inteiro
Veio então a ideia do doutor
De buscar todinha a gente do interior
Pra na água sarar da dor e dos anseios
A hidroginástica fez sucesso e o povo não quer mais parar
Em cada aula são mais de 50
É muita gente a se exercitar
Além do esforço tem a recompensa, de se livrar de um montinho de doença
Que a água termal ajuda a tratar
A mudança vem surgindo com a promoção da saúde
Corpo e mente andam juntos, com autonomia e atitude
Mais vida pra se viver
Mais qualidade no envelhecer
Tendo a experiência como virtude
A cura não é só do corpo, é da mente e da emoção
A água que leva as mágoas
Lava o orgulho e limpa o coração
Assim surgiu o grupo de ioga
Deixando muita gente boba Por bem dormir, sem dia-ze pão
A população não acha mais que prevenção é só vacina
Muito menos se entupir de remédio
Ou fazer check-up mensal de rotina
É se dispor ao mutuo cuidado
Equilíbrio solidário lado a lado
Homem mulher, menino e menina
Não se pode esquecer
No trilhar dessa andança
Do empenho da gestora fundamental nessa mudança
A equipe bem unida, se posta em defesa em defesa
Consolidando o SUS com esperança  

Leia  a matéria na íntegra no site Diario Catarinense.

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar