Prefeito proíbe que moradores de vilarejo italiano morram5


PUBLICIDADE ANUNCIE

O decreto aprovado pelo prefeito da pequena aldeia de Sellia, Davide Zicchinella, 40 anos, pretende frear o processo de esvaziamento do vilarejo da Calábria e aprimorar o serviço de saúde local.

Desde o início do século passado, diversos vilarejos italianos foram se esvaziando com grande parte da sua população migrando em massa do Sul para o Norte industrializado ou para o exterior em busca de melhores condições de vida.

Para evitar que o vilarejo desapareça, como já aconteceu com tantos outros, o decreto, que entrou em vigor há seis meses, obriga os moradores a fazerem um exame médico anual, pois o costume de ir ao médico se perdeu com o tempo.

Quem descumprir a norma deverá pagar 30 euros a mais nos impostos porque estaria colocando a vida de toda aldeia em risco.

PUBLICIDADE ANUNCIE

“A vida humana tem muito valor, mas aqui tem valor social, porque cada pessoa que morre representa a morte de toda a aldeia”, explicou o prefeito à AFP.

Zicchinella mandou construir um centro de saúde no lugar da enfermaria de uma escola. Antigamente, a população precisava viajar em busca de atendimento médico.

A Calábria é uma das regiões mais pobres da Itália e da Europa. Com a multa imposta a quem desobedecer o decreto, uma centena de pessoas se registrou para fazer o exame nas semanas seguintes ao anúncio da sanção. O atendimento é gratuito em apenas alguns casos. A maioria dos moradores conta com a ajuda da prefeitura para fazer exames como o de ortopedia, oftalmologia e cardiologia.

via [O GLOBO]

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar