Segundo paciente é curado do HIV com uso de células-tronco


PUBLICIDADE ANUNCIE

O segundo paciente infectado com o vírus do HIV, causador da Aids, conseguiu se curar, mesmo depois de parar o tratamento contra a doença. O primeiro caso de cura de infecção pelo HIV havia acontecido em 2008.

Identificado apenas como o “paciente de Londres”, o homem não tem mais o vírus da Aids em seu organismo, 19 meses após o fim de um tratamento contra um câncer. A terapia usada nos dois casos foi a mesma: transplante de medula óssea, de dois doadores com uma mutação genética rara, que impede o HIV de se instalar no organismo.

Segundo os médicos, o transplante de medula é um procedimento doloroso e arriscado, por isso não pode ser usado em todos os pacientes com o HIV. Mas usar células modificadas para fazer o corpo resistir ao HIV pode ser uma estratégia bem-sucedida, diz a doutora Annemarie Wensing, virologista no University Medical Center em Utrecht (Holanda).

PUBLICIDADE ANUNCIE

A descoberta aumenta as esperanças de 37 milhões de pessoas atualmente infectadas com o HIV em todo o mundo. Só 59% dos pacientes têm acesso aos medicamentos antirretrovirais hoje em dia e os medicamentos não eliminam o vírus, apenas prolongam a vida dos pacientes.

“Ao conseguirmos uma remissão de um segundo paciente utilizando técnicas similares, nós mostramos que o ‘paciente de Berlim’ não foi uma anomalia”, declarou Ravindra Gupta, chefe do estudo, e professor da Universidade de Cambridge, no Reino Unido.

Via Viva Bem

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar