Ela largou o emprego fixo para seguir o sonho de ser costureira

A Bruna Yumi entendeu que o tempo passa e não dá pra perder tempo fazendo o que não gosta e hoje costura seu próprio caminho.


ela largou emprego fixo seguir sonho ser costureira
PUBLICIDADE ANUNCIE

A Bruna Yumi entendeu que o tempo passa e não dá pra perder tempo fazendo o que não gosta, por isso ela largou o emprego fixo numa agência de turismo para se lançar na vida como costureira autônoma. E essa foi a melhor escolha da vida dela!

Como a maioria dos adolescentes que estão para terminar o Ensino Médio, a Bruna teve que escolher uma profissão. À época, ela decidiu cursar turismo por conta dos grandes eventos que o Brasil iria sediar, como as Olimpíadas e a Copa do Mundo.

Já dentro da área, trabalhando numa agência de turismo com um cargo bom, ela foi se sentindo incomodada e não se enxergava mais dentro daquela organização tradicional com um sistema hierárquico.

ela largou emprego fixo seguir sonho ser costureira
A Bruna percebeu que não há tempo para viver fazendo o que não se gosta

A estafa mental e os cansaços diários do emprego também começaram a pesar, e ela sentiu a necessidade de mudar. Mas essa reclamação se estendeu por dois longos anos, até que um dia, uma amiga mandou a real e questionou a Bruna com a frase que ela jamais vai esquecer: “a gente passa muito tempo fazendo o que não gosta, então elimina isso logo da sua vida”

PUBLICIDADE ANUNCIE

A partir disso, ela criou coragem e foi atrás de costurar seus caminhos – literalmente! Isso porque desde muito nova, a Bruna sempre gostou muito de costurar e aprendeu o ofício com a sua avó paterna. Então, logo que se demitiu ela já foi se virando, fazendo bicos de costureira para entrar um dinheirinho enquanto estava desempregada.

“São essas mudanças que a gente precisa ter coragem. Não é fácil, mas temos que ter na cabeça que ninguém vai fazer isso por você”, comenta em entrevista ao Canal ter.a.pia.

Um ajuste numa barra de calça aqui, uma pence ali e quando foi ver ela resolveu investir fundo nesse processo, foi atrás de um curso de modelagem e começou a produzir alguns pilotos de kimonos, inspirados nas peças que sua outra avó, vinda do Japão, usava.

Em pouco tempo esses pilotos foram vendidos para amigos próximos que se apaixonaram pelas peças e isso fez com que a Yumi percebesse o potencial do seu trabalho. É nessa hora que acontece o verdadeiro turn point de sua vida profissional, onde seu hobby de infância vira a marca Chila, inspirada na canção “O Cidadão do Mundo”, de Chico Science.

Hoje a Bruna está realizada com o seu trabalho, mesmo passando horas sentada na frente de uma máquina de costura ou perambulando pela cidade para fazer suas entregas porque é isso que a faz feliz.

Assista à Bruna contando sua história na sessão 48 do Canal ter.a.pia:

Conteúdo do ter.a.pia, canal parceiro do Razões.

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar