Sem preconceito nem medo: mulher adota 3 meninas com necessidades especiais

Crianças com algum tipo de deficiência têm menos chances de serem adotadas por causa do medo das pessoas de não conseguir cuidar delas. Não foi o caso da física Carla Penteado e da dona de casa Cristiane Bianchi, moradores de Joinville, Santa Catarina.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Carla é mãe da Marcela, que tem autismo e paralisia cerebral, da Luana, com Down e da Rafaela, que tem paralisia cerebral severa. “Eu peguei ela [Marcela] no colo, nanei ela, cantei para ela, e em casa eu cheguei à conclusão de que tinha ‘esquecido’ minha filha no abrigo, e comecei a batalhar pela adoção dela”, conta Carla ao Jornal do Almoço.

Já Cristiane é mãe de um menino também com paralisia cerebral, Gabriel, hoje com 14 anos. Ela conta que adoção foi um processo natural na vida dela e do marido, Aquiles. O casal já tinha três filhos adultos quando adotou Gabriel.

adocao

“A gente confia nos quatro ‘F’: foco, força, fé e fisioterapia. Muita fisioterapia. Para poder tratar dele”, diz Cristiane. “Abra seu coração. Às vezes aquelas pessoas mais velhas só tão esperando uma família para amar”, aconselha.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Todas as imagens: Reprodução/RBSTV

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,829,971SeguidoresSeguir
24,609SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Depois da formatura, ela foi até o trabalho de seu pai, que é pedreiro, para agradecê-lo

Se tem uma coisa que a paraguaia Yudit Romero reconhece é o sacrifício que o pai fez para lhe dar a melhor educação possível. Don...

Jovem faz rifa de liquidificador para ajudar gatos abandonados em cemitério em Maceió

Jonathan Ryan tem apenas 14 anos, mas já é daquelas pessoas que nos enchem de orgulho e emoção! Ele é de Maceió (AL) e...

Tatuagem interativa para diabéticos muda de cor conforme os níveis de glicose no sangue

A tecnologia - que é linda quando a assistimos em ação - é mais uma ferramenta revolucionária de monitoramento da saúde.

2 bailarinos fazem história e são os primeiros líderes de torcida homens, nos EUA

Você já parou pra perceber que nos filmes americanos não existem líderes de torcida homens? Isso não acontece somente nas telas do cinema, já...

Instagram

Sem preconceito nem medo: mulher adota 3 meninas com necessidades especiais 3