Sem-teto são contratados para trabalhar em lanchonete em Vitória (ES)

Em tempos de crise econômica e instabilidade política, muitas pessoas perdem seus empregos. Não conseguem pagar as contas e vão parar nas ruas: um dos motivos para o aumento da população em situação de rua no país. Na capital capixaba, esse número chega a 235 pessoas morando nas ruas. Para mudar essa realidade, de desesperança e sofrimento, a rede de fast-food McDonald’s firmou uma parceria com o Projeto Escola da Vida, da Prefeitura de Vitória. A parceria surge com o objetivo de oferecer emprego e uma chance para os sem-teto recomeçarem suas vidas. Seis moradores em situação de rua foram contratados por uma unidade da rede na Praia do Canto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ouça essa história e se emocione! Clique no play acima!

Maurício de Souza Rodrigues, de 27 anos, é um desses novos funcionários. Ele foi parar nas ruas após viver um drama familiar. O mineiro de Aimorés perdeu sua mãe há quatro anos e, sem a ajuda de familiares e amigos, foi morar em Vitória. Como não conhecia ninguém na cidade, passou a morar embaixo de uma ponte. Em meio a tantas dificuldades, Maurício procurou ajuda do projeto Escola da Vida e foi viver em um abrigo, até conseguir o emprego no McDonald’s e alugar uma casa.

“Durante dois meses minha rotina era fazer as oficinas da Escola da Vida (informática, sabão caseiro) e dormir no abrigo noturno. De repente, comecei a trabalhar no McDonald’s, onde conheci minha mulher, que agora também trabalha no local, e hoje moramos juntos em Vila Velha. Faço de tudo no meu trabalho: monto lanches, preparo os condimentos, lavo louça, frito batatas, apoio no balcão, preparo sobremesas e limpo chapas”, contou Maurício, em entrevista ao O Estado do Espírito Santo.

A rede de fast-food é a primeira empresa a realizar esse tipo de trabalho em Vitória, em parceria com a Escola da Vida: um espaço de apoio para pessoas em situação de vulnerabilidade social. Os candidatos às vagas de emprego são selecionados pelo projeto e encaminhados para uma entrevista nas unidades do McDonald’s na capital.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Aprovados, eles iniciam um período de experiência e treinamento – não precisa ter experiência, exigência comum na maioria das empresas. No treinamento, os candidatos aprendem técnicas de atendimento ao consumidor, a importância da segurança alimentar e as funções do restaurante. Os candidatos contratados trabalham em escala de 44 horas semanais, em diferentes funções, da limpeza até a preparação dos alimentos.

“Sem essa parceria com o McDonald’s, seria muito difícil reintroduzir essas pessoas no mercado de trabalho. Só temos que agradecer por esse gesto de amor”, disse Edinho Lima, gerente do Projeto Escola da Vida.

O McDonald’s começou seu programa de contratação de ex-moradores de rua em São Paulo, no começo do ano, através de uma parceria com o programa Trabalho Novo. A ideia é que os sem-teto possam deixar o abrigo municipal, retornar para suas famílias ou alugar uma moradia. Vitória é a primeira cidade fora da capital paulista a ser contemplada pela ação.

Foto: Divulgação/Arcos Dourados

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

Relacionados

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,020,129FãsCurtir
2,149,467SeguidoresSeguir
11,456SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovens e agricultores se unem e abrem bibliotecas na zona rural da Paraíba

Eu já estou apaixonado por essa história antes mesmo de começar a contar pra vocês. Esse é um exemplo de que a união entre...

Guy Fieri arrecada US$ 22 milhões para funcionários de restaurantes desempregados

Guy Fieri é uma verdadeira celebridade nos Estados Unidos, onde além de ser empresário e dono de uma grande rede de restaurantes, também é...

Após alagamento, vaquinha arrecada R$117 mil e idosos ganharão um lar novo (BA)

Os velhinhos da Casa de Idosos Giuseppe Aras, em Itabela (BA), vão ganhar um lar novo! O asilo onde os 34 idosos moravam ficou alagado...

Pescadores salvam 5 tartarugas marinhas presas em rede de pesca

Na praia de Araranguá, em Santa Catarina, o que tinha tudo para ser apenas mais um dia normal para alguns pescadores, transformou-se em uma...

Cachorrinha é adotada por Corpo de Bombeiros após ser agredida e abandonada

A história da cachorrinha Ashley é a prova viva de que, ao mesmo tempo que existem pessoas ignorando os direitos dos animais, outras maravilhosas...

Instagram