Senado aprova prisão para quem cometer racismo e discriminação na web

Mas que notícia sensacional que acabamos de saber, com informações do Bhaz:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foi aprovado pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), um projeto de lei que prevê a pena de prisão para quem cometer crimes de racismo e discriminação pela internet, inclusive para aqueles que repassarem as ofensas adiante.

A proposta do senador Paulo Paim (PT-RS) e foi aprovada mês passado. A PLS que atualiza a lei de racismo no Brasil, também dá ao juiz a possibilidade de interditar mensagens ou páginas de acesso público. Sendo assim, quem for acusado de preconceito por raça, cor, etnia, religião ou nacionalidade cometido por meio da internet, ou de qualquer outra rede de computadores destinada ao acesso público, poderá ser condenado a pena de reclusão de dois a cinco anos, além de multa.

O relator da proposta, o senador Telmário Mota (PDT-RR), lembrou durante a leitura do parecer que a internet é tida por muitos como “território livre”, sendo usada como cenário da manifestação de discriminações e preconceitos variados.

O texto segue para a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) e, depois, à Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), à qual caberá decisão terminativa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com informações do Bhaz, texto da Jessica Munhoz.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,644,123SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Oficina no Mato Grosso do Sul recupera mobiliário hospitalar para doação

Sempre falamos aqui no Razões do quanto é importante reaproveitar materiais descartados ao invés de gerar lixo. Seguindo essa linha, o sistema municipal de...

Jovem ganha o melhor presente de 16 anos graças aos cadernos de histórias de seu avô

São histórias que os dois viveram juntos quando ela tinha entre 2 e 5 anos de idade.

Sem poder visitar a esposa internada com Covid-19, marido a espera sentado na calçada há mais de 20 dias

“Ela tem que acreditar que eu fico aqui, todos os dias, perto da clínica esperando a reação dela, que ela vai bem”. É isso...

Vírus Ebola agora é curável após testes realizados no Congo

O vírus Ebola não pode mais ser chamado de "doença incurável", segundo a comunidade científica. Após 2 das 4 drogas testadas em um surto...

Jovem compartilha alegria de ter uma casa própria: ‘É simples, mas fruto de muito trabalho’

A jovem Analía Barrios, 24, de Luque, no Paraguai, realizou o sonho de sair da casa dos pais e começar a construir seu próprio...

Instagram