Senhora desapega de objetos e investe em projetos sociais

Clique e ouça:

“Com um consumo mais consciente, é possível gastar tempo e energia em coisas mais bacanas, como viajar e ajudar o próximo”. É dessa forma que a dona Marisa resolve a equação consumo versus qualidade de vida, desapegando-se de objetos e investindo em projetos sociais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para ela, a expressão “menos é mais”, é mais do que uma frase de impacto: uma forma de aproveitar melhor a própria vida e proporcionar uma vida melhor a famílias carentes.

Em 2009, Marisa mudou-se de Minas Gerais para o Rio de Janeiro. Em 2012, ela comprou um apartamento de dois dormitórios, mas o vendeu no ano seguinte, para comprar um apartamento menor, de apenas um dormitório, por meio da OLX.

Em uma época de consumo exacerbado: itens são produzidos e comercializados, muitas vezes, sem um pensamento sustentável. O mercado de compra e venda de seminovos e usados surge como uma opção para minimizar os impactos no planeta.

É o que comprova o relatório ‘Second Hand Effect’, produzido pela OLX, em parceria com o IVL Swedish Environmental Research Institute e consultoria do Ethos International. O relatório calcula o impacto ambiental positivo das transações de itens usados e seminovos comercializados na plataforma, levando em conta as emissões de CO2 que deixaram de ser emitidas no planeta pela produção de um novo produto.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O método por trás do cálculo se baseia no pressuposto de que cada produto seminovo ou usado vendido substitui a produção de um novo equivalente, incluindo o gerenciamento de resíduos do produto. Isso significa que, se alguém comprar uma mesa de jantar usada — ao invés de comprar uma nova —, não haverá a necessidade de produção de uma nova mesa e uma mesa usada não será descartada.

Durante a mudança, Marisa se desapegou de um montão de coisas dos dois filhos que se mudaram para o exterior. Foi então que ela começou a refletir se precisava realmente de outros móveis e objetos da casa.

“Como deu super certo, comecei a analisar o que eu utilizava de verdade em casa e quais itens eu não utilizava com muita frequência. Então, comecei a vender itens de decoração, luminárias, apetrechos para cães, móveis e hoje estou vendendo meu carro”, disse Marisa ao Razões para Acreditar.

senhora desapega objetos investir projetos sociais
Maria investe o dinheiro das vendas dos objetos em projetos sociais para famílias carentes

Senti uma grande diferença, acho que hoje tenho mais qualidade de vida e a energia do ambiente flui muito melhor. Casas com muitas coisas não utilizadas incomoda muito.  Aprendi a enxergar a vida de uma maneira mais simples. Viver com menos coisas mostra que não precisamos de muito para ser feliz. Reflito muito mais antes de adquirir alguma coisa.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Marisa investe parte do dinheiro das vendas dos itens em projetos sociais que ela apoia. Atualmente, a dona de casa participa da ‘Obra do Berço’, um projeto super bacana de senhoras que costuram e até compram enxovais para recém-nascidos.

“Enviamos nosso trabalho à Maternidade Alzira Reis e a Maternidade Leila Diniz. As peças são doadas para mães que não têm condição de comprar roupas para bebês.

senhora desapega objetos investir projetos sociais

Marisa acrescenta: “Sou colaboradora da ACHUAP – Associação dos Colaboradores do Hospital Universitário Antônio Pedro. Quando a verba recebida não é suficiente, auxiliamos com eventos beneficentes, como bazar, desfiles de moda, almoços e chás para conseguir renda e manter o bom funcionamento da unidade.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela finaliza a nossa conversa dizendo que podemos aproveitar melhor as oportunidades que a vida proporciona quando temos menos coisas. No caso dela, o desapego não é apenas em benefício próprio. Ele também beneficia aquelas pessoas que têm pouco.

O que é muito bacana: o desapego ajuda quem tem pouco, e assim a conta fecha para todo mundo. 🤲 🙏

senhora desapega objetos investir projetos sociais

Com um consumo mais consciente, é possível gastar tempo e energia em coisas mais bacanas, como viajar e ajudar o próximo. Viver com menos é muito bom, pois deixa a energia circular. Além disso, ter um consumo consciente evita o consumo exacerbado e colabora por um mundo mais sustentável.

crédito das fotos: Arquivo Pessoal – Reprodução Autorizada

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,050,969FãsCurtir
2,191,217SeguidoresSeguir
17,280SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Homem com deficiência humilhado por atraso de salgados se surpreende com apoio: “o telefone não para”

Coisa mais linda essa corrente de solidariedade, o Rafael tá sem acreditar! Rafael foi humilhado por um cliente que não aceitou o atraso da sua...

Cãozinho é reprovado em treinamentos da polícia por ser ‘dócil demais’

E essa carinha de: "Alguém brinca comigo, por favor!"?

Homem cria “restaurante” 24 horas para alimentar cachorros de rua

João Araújo mora em Palmas, no Tocantins e é gerente de uma loja de peças para motos. Ele sempre se preocupou com os cachorros de rua da...

“Eu quito!”, diz Tatá Werneck para seguidora que desabafou sobre dívidas na pandemia

A Tatá Weneck se ofereceu para pagar as dívidas de uma seguidora depois que ela postou um meme no seu Instagram. O meme é uma...

Jovem ‘zombada’ por vender sacos de lixo para ajudar a mãe não abaixa a cabeça

A estudante de enfermagem Clara Soares, 18 anos, vende sacos de lixo e panos de chão em Ceilândia (DF) para ajudar a mãe. Enquanto batia...

Instagram

Senhora desapega de objetos e investe em projetos sociais 13