Servente de pedreiro supera a depressão e faz sucesso nas redes sociais como modelo

Modelar e construir são duas funções que podem sim estar juntas. O jovem Francisco Albuquerque, de 26 anos, é quem prova que não precisam existir barreiras entre profissões e mundos diferentes.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O glamour das passarelas e das capas de revista é dividido com o cenário das obras cheias de cimento e poeira e ele ama as duas coisas que realiza, mas não foi muito fácil trilhar este caminho.

Francisco é de uma família pobre criada por uma mãe solo e tem uma irmãzinha de 9 anos. Foi a mãe, dona Tere, que trabalha até hoje como diarista, que decidiu colocá-lo para modelar.

Foto: Instagram @pedreiromodel

“Eu tentei ser modelo quando era criança, minha mãe tinha esse sonho pra mim, mas tivemos muitos problemas com as agências, eu tinha baixa autoestima, cresci e segui outros caminhos”, explica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Francisco passou no curso de administração em uma universidade pública federal e começou a estudar, mas sentiu muitas dificuldades por causa da fragilidade da base nas escolas públicas e acabou largando o curso e o emprego na área administrativa.

“Tive depressão, engordei bastante, procurei ajuda psicológica. Fui trabalhar como autônomo, vendedor, garçom”, conta. Na adolescência, ele já havia trabalhado como ajudante de pedreiro. Os tios dele são pedreiros e o padrasto também.

Foto: Instagram @pedreiromodel

Comecei por necessidade, mas era uma terapia. Decidi correr atrás do sonho de ser modelo de novo. Juntei as duas coisas, comecei a tirar fotos na obra, cheio de cimento e postar nas redes sociais. Foi onde eu consegui ganhar dinheiro e ter flexibilidade na agenda para investir na carreira de modelo”, relata.

Vaquinha para jovem morador de periferia concluir sua faculdade e continuar com projeto social na comunidade. Clique aqui e contribua.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E foi assim, colocando a mão literalmente na massa, que ele conseguiu reviver o desejo de ser modelo. Hoje divide o dia entre o trabalho pesado como servente de pedreiro e as agendas de fotografia e desfiles, mas ralou um bocado para conseguir este espaço e sofreu bastante preconceito.

Foto: Instagram @pedreiromodel

Tem muitos julgamentos por causa dos esteriótipos. As pessoas dizem que eu não tenho cara de pedreiro, e isso é uma forma de preconceito com esses profissionais. O mundo da moda tem que mudar e dar visibilidade a outros perfis de beleza, porque a beleza é multirrepresentativa. Eu estou dentro desses padrões, mas quero inspirar outras pessoas, negro, asiático, plus size. Temos que ter essa consciência”, avaliou.

Foto: Instagram @pedreiromodel

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Você não pode ser modelo sujo de cimento”, foi o que eles disseram

As agências não aceitavam o perfil de Francisco. “No mundo da moda, as pessoas diziam que eu tinha que mudar, mostrar glamour, não postar as fotos de pedreiro, mas era a história que eu queria contar, não queria esconder minhas raízes”, disse.

O modelo pedreiro ou pedreiro modelo está fazendo um sucesso gigante nas redes sociais e já posou até para capas de revista. “Estou muito feliz com tudo isso o que está acontecendo na minha vida”, disse.

Foto: Instagram @pedreiromodel

Apesar disso, a pandemia interrompeu os trabalhos do jovem, tanto como modelo quanto como servente de pedreiro. Mas ele segue lutando para conquistar mais espaço e dar uma vida mais confortável para dona Tere, que sonhou com este futuro para o filho e que continua ralando bastante como diarista.

Foto: Instagram @pedreiromodel

Muitas pessoas estão ajudando o paranaense, como dentista, academia, fotógrafos. Francisco disse que quer ajudar a inspirar outras pessoas e que tem recebido muitas mensagens de profissionais que sonham em alcançar outras profissões.

Vaquinha para ajudar motoboy William, que ficou sem ajuda dos amigos, a construir sua casa. Clique aqui e contribua.

“Com esse trabalho, eu quero mostrar para as pessoas que independente da sua profissão, você pode sonhar. Não importa a roupa que ela está usando porque elas são trabalhadoras”, falou.

Foto: Instagram @pedreiromodel

Francisco, você é literalmente um modelo para nós, um exemplo, uma inspiração!

Veja o vídeo que ele fez narrando sua trajetória:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Razões Para Acreditar (@razoesparaacreditar) em

[Nota da Redação]

Como é a rotina de um gari? Alegrias e sofrimentos fazem parte do dia a dia desses guerreiros:

selo conteúdo original

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,637,823SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Em meio à guerra, soldados de Iraque e EUA se apaixonam

Uma história que faz a gente acreditar que o amor pode florescer em lugares onde só vemos ódio e dor.

Após ver sofrimento da mãe, brasileiro cria colchão para pessoas com fibromialgia e dor lombar

Quem tem algum tipo de dor lombar ou sofre de fibromialgia sabe o quanto é penoso dormir tranquilamente à noite. Depois de ver o...

Homem preso injustamente vira advogado para corrigir erros da Justiça

Jarrett Adams conhece a dor de pagar por um crime que não cometeu e por isso decidiu ajudar réus condenados por erros da Justiça.

Desempregada é humilhada por mulher ao vender salgados e recebe apoio. “Disse ter nojo da minha casa por eu ter animais”

Jamile Aparecida mora em um pequeno apartamento com sua filha de 14 anos e vários animaizinhos, que ela tira da rua e ajuda a...

Em vídeo hilário, menina finge que gostou do macarrão da mãe

Olha só que prova de amor! 😍 Em um vídeo hilário, uma menininha faz de tudo para fingir que gostou do macarrão da mamãe, mesmo...

Instagram