Serviço de assinatura de fraldas biodegradáveis oferece descarte sustentável

Em seus primeiros 60 dias de vida, um bebê utiliza, em média, 8 fraldas por dia (240 por mês!), número que vai se reduzindo com o passar do tempo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Trocar e descartar fraldas a todo momento é um desafio para os pais e, no final das contas, para o meio ambiente, pois a imensa maioria delas não é biodegradável.

Pensando nisso, a startup norte-americana Dyper, que aproveita a tendência dos serviços por assinatura, lançou um pacote mensal de fraldas recicláveis para pais cansados do desperdício.

dyper serviço assinatura fraldas reciclagem biodegradável
Foto: Divulgação/Dyper

Semanalmente, a empresa faz a entrega dos produtos e ‘recebe’ as fraldas usadas para realizar o descarte sustentável.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O serviço, por enquanto, está disponível apenas nos EUA. Há a cobrança de uma mensalidade de US$ 68 (R$ 306) que prevê a entrega de 100 a 260 unidades – depende das necessidades do cliente e do estágio de vida do bebê.

dyper serviço assinatura fraldas reciclagem biodegradável
Foto: Divulgação/Dyper

Todas as fraldas são compostas de fibras viscosas de bambu, integralmente biodegradáveis na natureza ou em centros de compostagem.

Se o cliente desejar, a Dyper se responsabiliza pela recolhimento dos produtos utilizados cobrando mais US$ 39 (R$ 175) para aplicar o ‘ReDyper’, que garante um destino verde para elas com a ajuda da empresa de reciclagem TerraCycle.

dyper serviço assinatura fraldas reciclagem biodegradável
Foto: Divulgação/Dyper

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em artigo escrito para o portal The Verge, Sergi Radovcic, CEO da Dyper, afirma que o principal objetivo da empresa é “garantir que menos fraldas sejam descartadas em aterros, onde seu reaproveitamento é nulo”.

Ele descreve que além de vender o produto com selo 100% biodegradável, o plano da empresa é expandir-se globalmente e permitir que mais clientes se livrem de fraldas que prejudicam o meio ambiente.

dyper serviço assinatura fraldas reciclagem biodegradável
Foto: Divulgação/Dyper

Relembre a história de um bebê que abraçou um pacote de fraldas após achar que o garotinho da foto era ele.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

[Nota de Redação]

O seu Zezinho tem 68 anos e nunca foi à escola. Ele queria muito aprender o alfabeto e finalmente poder escrever o próprio nome. Gentil toda vida, uma professorinha de 9 anos começou a ensinar o vendedor de picolé a ler e escrever.

[Ajude uma jovem mãe abandonada pelo marido a cuidar dos 4 filhos pequenos. Clique aqui e apoie a vaquinha.]

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: B9

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,843,411SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Casa eco-friendly inspirada na vila dos hobbits pode ser construída em apenas 3 dias

Toda vez que você assiste ao filme "Senhor do Anéis" se imagina vivendo naquela vila de Hobbits? Agora já é possível, pois a empresa norte-americana Green Magic...

Joalheria que faz produtos com lascas de parede só contrata mulheres em situação de rua

O reaproveitamento de materiais é uma solução extremamente inteligente e criativa para que a gente viva em um mundo mais sustentável e menos consumista....

Casal e seu bebê fazem ensaio inspirado no filme da saga ‘Star Wars’

O ensaio aconteceu em um local com dunas no estado de Utah, nos Estados Unidos, onde a família mora. “Foram quatro horas dirigindo, com trechos off road para chegar lá”, explicou Victor. “Definitivamente foi como se estivéssemos em Jakku.”

Após superar preconceitos em aldeia, indígena transexual se torna professora infantil

Indígena superou preconceitos em aldeia, conseguiu se formar após uma tumultuada adolescência e hoje é professora de alunos entre 6 a 14 anos.

Casal reconstrói mamilos e aréolas de pessoas que tiveram câncer de mama

“Quando eu vi o resultado e a felicidade dela, eu percebi que eu não podia cobrar por aquele serviço. Foi aí que comecei meu projeto."

Instagram