Educadora cria site para diminuir a falta de informação sobre educação inclusiva: Tem até curso via WhatsApp

Depois de mais de 20 anos atuando como professora da rede pública em São Paulo, diretamente com educação especial, Fabiana Leme decidiu estender seus conhecimentos sobre Educação Inclusiva por meio de grupos de Whatsapp e a iniciativa acabou virando um site chamado ‘Inclutopia’. Tanto o material do site, quanto o conteúdo compartilhado pelo aplicativo de mensagens, são demonstrações práticas de atividades inclusivas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Dentre as informações, estão dicas de como trabalhar o processo ensino-aprendizagem com alunos com baixa visão, déficit de atenção, dislexia, transtorno de aprendizagem, deficiência intelectual, autismo. Os conteúdos são geralmente textos com orientações e jogos lúdicos.

“No meu dia a dia, pude perceber a diferença que faz a informação e a orientação de pais e professores para garantir uma educação inclusiva de fato. O meu objetivo é levar mais informação e orientação sobre educação inclusiva para mais pessoas colaborando com a construção de uma escola efetivamente inclusiva”, disse Fabiana.

professora sorrindo
Foto: Arquivo pessoal

Cursos via WhatsApp

Além da disponibilização gratuita do material, Fabiana promove cursos a distância por meio do próprio WhatsApp.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Inclutopia (@inclutopia) em

Nesses mais de 20 anos de atuação, a pedagoga, que tem habilitação em deficiência intelectual e deficiência auditiva e especialização em acessibilidade, teve experiência com diversas concepções pedagógicas sobre educação inclusiva e resolveu estender esse conhecimento a profissionais da educação e familiares de alunos.

Ver essa foto no Instagram

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma publicação compartilhada por Inclutopia (@inclutopia) em

“Quando qualificamos o ensino para TODOS, estamos desenvolvendo uma outra ótica para a construção da sociedade. Quanto mais a educação inclusiva avança, vemos mais pessoas com deficiência atuando de forma mais participativa e toda uma nova geração que convive e compreende mais sobre as questões da diversidade desde a escola, e assim continuaremos a nos desenvolver até que não haja mais a necessidade de se discutir a inclusão, pois o respeito e equidade será garantida a todos”, reflete a pedagoga.

 

Ver essa foto no Instagram

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma publicação compartilhada por Inclutopia (@inclutopia) em

Para saber mais e acessar o rico conteúdo do Inclutopia, visite o site e as redes sociais do projeto (Facebook e Instagram).

Em parceria com a Intel, selecionamos histórias e projetos que utilizam a tecnologia com um único propósito: o de mudar, ajudar e transformar vidas! Acesse todas as matérias aqui.

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,269,708SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mãe e filha se reencontram após 82 anos separadas, nos EUA

Aos 96 anos, a norte-americana Lena Pierce se reencontrou com sua filha Betty Morrell, de 82 anos, após 82 anos separadas. Lena deu à luz Betty em Utica,...

Garoto de 7 anos dá exemplo de superação ao praticar luta olímpica sem pernas

Essa história vai ser aquele empurrão que faltava para você vencer tudo na sua vida! Aos 7 anos, Isaiah Bird é a personificação de esforço e...

Ator “adota” idosa com leucemia e que vivia sozinha

Chris publicou fotos dele com Norma nas redes sociais, onde aparecem felizes e contentes.

Coala que perdeu seu ‘lar’ volta para a floresta

A imagem acima foi tirada no estado de Nova Gales do Sul, na Austrália. Este coala ficou perdido, pois o local onde antes era sua casa, repleto de pinheiros, foi desmatado. Ambientalistas que...

Instagram

Educadora cria site para diminuir a falta de informação sobre educação inclusiva: Tem até curso via WhatsApp 3