Skol convida ilustradoras para recriarem pôsteres machistas da marca

Uma coisa não tem mais volta (ainda bem): marcas machistas não são mais toleradas ou absorvidas de forma velada e sem cobrança de um posicionamento correto.

Eu estudei Publicidade e Propaganda e me lembro que nas aulas de História da Propaganda, via anúncios machistas da década de 50 mostrando mulheres como escravas do lar, sendo submetidas a um posições que as inferiorizavam de forma agressiva.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas, felizmente, os tempos são outros, e se tem um setor da economia que está tendo que se reinventar, é o da publicidade. E a marca Skol, da gigante Ambev, tem feito sua lição direitinho.

A cervejaria de maior alcance no Brasil começou a perceber que suas campanhas que objetificavam a mulher não passavam mais ilesas à duras críticas de todos os lados (relembrem uma delas aqui), começando nas redes sociais e reverberando em setores estratégicos dentro da companhia.

Talvez o ápice disso foi em 2015, quando eles fizeram uma campanha de Carnaval, com anúncios indoor na grande São Paulo, que foram duramente criticados “por induzir a perda de controle“, chegaram até a “alterar”o anúncio e publicaram nas redes sociais:

machistas não passarão

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Deu certo. Os executivos e agência que atendem a marca pediram desculpas e ainda mudaram o tom das campanhas com opções que incentivavam o respeito, relembre aqui.

Depois disso, nos últimos dois anos a marca vem trabalhado para mudar sua imagem, desde então já fizeram uma linda campanha para o dia do orgulho LGBT (veja aqui) e celebrando a diversidade em um comercial intitulado “Viva a Diferença”, veja aqui.

Pôsteres machistas nunca mais

Pois em uma data simbólica e muito forte – o Dia Internacional da Mulher, a Skol lançou mais uma tacada de mestre: convidou ilustradoras e artistas plásticas para recriarem antigos pôsteres da marca sob um novo olhar, um olhar mais contemporâneo e alinhado com os discursos que estamos presenciando no dia a dia.

É muito bacana ver que a cervejaria percebeu que seu discurso antigo e do século passado e que não cabe mais nos dias que vivemos. Assista o resultado:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veja algumas das recriações:

posteres machistas posteres machistas

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

posteres machistas não mais

No hotsite Skol Reposter é possível ver vídeos de cada artista falando sobre seu processo criativo para repensar o pôster da marca.

Leia também: 

Presos em Uberlândia produzem até 400 caixas de legumes por mês

Desconhecido paga compras de idosa após ela ter cartão recusado em mercado

Menino de 5 anos corta o cabelo igual do amigo para tentar enganar professora

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,755,527SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Lição de amor: Pastor vai com filho trans a cartório realizar alteração de nome

"Sentimento de realização como pai. Ele poderia ter feito tudo sozinho e eu teria perdido uma oportunidade de me fazer presente na vida dele"....

Você sabia que o captcha que você digita na internet pode ajudar a mudar o mundo?

Tempo atrás, o Captcha, aquelas palavras que digitamos antes de baixar alguma coisa ou verificação de contas, não tinham utilidade nenhuma além de evitar...

Vovó de 101 anos que virou influencer depois de entregar CV ganha ensaio, presentes e tratamento dentário

Depois de publicar seu currículo em um grupo de busca de emprego, Dona Maria Cardoso saiu do anonimato direto para a fama digital. Ao...

Cegonha voa 13 mil quilômetros todos os anos para ver sua companheira ferida

Todo mês de agosto, a cegonha macho Klepetan deixa sua companheira, Melena, em Brodski Varoš, na Croácia, para migrar rumo ao sul da África: são 13 quilômetros de distância de uma ponta a outra!

Menino não corta os cabelos compridos, supera o bullyng e inspira mãe a escrever livro

Falar de temas complexos e polêmicos, como sexismo, preconceitos e estereótipos, para crianças de 5 anos não é uma tarefa fácil. É necessário muito...

Instagram