Startup produz embalagens biodegradáveis feitas a partir da mandioca

O produto é estranho: tem textura de isopor e gosto de biscoito de polvilho – ao mesmo tempo, não é comida, é uma bioembalagem.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mas não se engane: as bioembalagens desenvolvidas pelo pesquisador Humberto Pupo, a partir de sua startup são um sucesso, com mais de 20 mil delas sendo vendidas por mês.

A partir de uma biomassa feita à base de fécula de mandioca, água e resíduos naturais, como cana e bambu, o produto é superaquecido e transformado em bandejas, pratos etc.

Sem dúvidas, o grande diferencial deste material em relação à concorrência está no quão amigável ele é para o meio ambiente.

Ao passo de que o isopor e o plástico demoram séculos, literalmente, para se decompor na natureza (o que é bastante agressivo, cronologicamente falando), a bioembalagem desaparece do ambiente em questão de semanas – basta ter contato com o solo. Mais interessante ainda: se colocada sob água corrente, esta embalagem se dissolve em questão de minutos!

Leia tambémEmpresa lança garrafa que é biodegradável na água, na areia e até no lixo

Sabemos que a fécula de mandioca é uma fonte natural renovável e abundante em terras tupiniquins, outro ponto positivo para esta bioembalagem. Ela também pode servir após o uso como compostagem (adubo) e até como ração animal.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Outro fato interessante é que o produto tem toxicidade zero. Se ele é tão incrível assim, por que ainda não o vemos em massa nos mercados e restaurantes do país?

Startup produz embalagens biodegradáveis feitas a partir da mandioca

A tecnologia foi criada há mais de duas décadas no Centro de Raízes e Amidos Tropicais (Cerat) da Unesp Botucatu, mas só recentemente obteve autorização governamental para ser comercializada.

Atualmente, o produto começou a ser demandado por empresas que trabalham como hortifruti orgânico. A expectativa de médio prazo é que as bioembalagens possam ser vendidas em grande escala. Talvez, como prato de merenda servida nas escolas e até nas prateleiras dos grandes supermercados.

“Produzir uma bioembalagem à base de mandioca como a nossa logicamente custa pouco mais caro que uma embalagem de isopor ou plástico convencional. Questão de centavos. Mas claro que é possível ser mais competitivo. Tudo depende da demanda e incentivos neste tipo de tecnologia. Mas estamos confiantes neste mercado”, garante Pupo.

“Infelizmente ainda existe uma parcela pequena de pessoas preocupadas, mas graças a Deus o mundo hoje está mostrando os grandes problemas dos resíduos, principalmente o plástico, o isopor e o alumínio, que são os principais vilões. O intuito não é simplesmente vender os produtos. Quero conscientizar as pessoas”, complementa o empreendedor.

Muito além de uma ideia de negócio, as bioembalagens podem ser uma revolução cultural, pelo potencial de “reciclar” a maneira na qual os seres humanos enxergam a sustentabilidade do mundo – afinal, nós somos hoje 7,6 bilhões de pessoas.

Aqui no Brasil produzimos 60 milhões de toneladas de lixo, sendo que 20% desses detritos são formados por embalagens plásticas – 80% delas utilizadas apenas uma vez antes do descarte, algo lamentável.

“O projeto é fundamental para disseminar a ideia de sustentabilidade. Nem todos tiveram uma educação ambiental adequada. Não estão dispostos a pagar um pouco mais por um produto ambientalmente favorável. Não colocam o ambiente na balança dos preços. Assim o poder público precisa participar ativamente com leis de incentivo destes tipos de produtos. Espero que a geração atual prepare melhor as gerações futuras dentro desse conceito”, conclui Pupo.

Leia tambémProjeto incentiva a recolocação no mercado de trabalho para pessoas com mais de 50 anos

[Nota da Redação]

Projeto abre vagas para pessoas com mais de 50 anos voltarem ao mercado de trabalho. Assista o vídeo:

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Leia Notícias
Fotos: Reprodução / 4 Toques

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,210FãsCurtir
1,759,848SeguidoresSeguir
8,611SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Fábio Assunção dá a volta por cima um ano depois de virar ‘piada’ no Carnaval

É impressionante o quanto as coisas podem mudar em apenas um ano, né? Olha o caso do ator Fábio Assunção, 48 anos. No Carnaval do...

Fotos de abelhas cansadas dormindo de “bumbum pra cima” dentro de flores viralizam

Uma série de fotos de abelhas tirando um cochilo dentro de flores com o bumbum cheio de pólen está fazendo o maior sucesso na...

No Pará, há mais de 40 anos existe um bloquinho infantil que homenageia os animais da Amazônia

Cada vez mais os blocos carnavalescos estão inovando e usando e abusando da criatividade, mas o que falar deste bloquinho infantil, do interior do...

O primeiro dia de aula do menino desnutrido que foi resgatado há um ano

O primeiro dia de aula é uma data marcante, que estabelece que seu filho(a) está crescendo e ganhando o mundo. Mas, para um menino em...

USP retira coágulo de artéria no cérebro e devolve movimentos a vítimas de AVC

Cientistas adjuntos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto desenvolveram uma técnica eficaz na redução de quase a totalidade...

Instagram