Luzes de celulares dão mais romantismo a casamento após queda de energia em Uberlândia (MG)


Falta de energia leva noiva a entrar em igreja à luz de celulares em Uberlândia (MG)
PUBLICIDADE ANUNCIE

Imagine a situação: a noiva Anaisa Mendonça Bessa, 30 anos, organizou sua cerimônia de casamento com bastante antecedência… mas na noite da comemoração, a energia simplesmente cai, deixando todos os presentes na igreja no escuro.

“Eu não podia chorar, para que as pessoas não pensassem que eu estava triste pela falta de energia. Então, segurei a emoção e sorri”, relatou Anaisa, que casou, no último sábado (20), à luz de celulares na Catedral Santa Teresinha, região central de Uberlândia (MG).

Naquela noite, três quarteirões do centro da cidade sofreram um apagão, com centenas de casas e comércios ficando sem energia elétrica. Horas depois, a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) confirmou “problemas na rede subterrânea”.

O noivo Hudson Luis Alves Bessa, 32 anos, relata que chegou à igreja no final da tarde de sábado, por volta das 17h, e logo foi avisado sobre um ‘possível problema no fornecimento de energia’.

“O cerimonial conversou comigo sobre a falta de luz. Ele me tranquilizou dizendo que não havia outra cerimônia após a nossa e que poderíamos ficar tranquilos.”

Em seguida, Hudson ligou para a sogra para avisá-la sobre o ocorrido e acalmar a futura esposa. “Depois de avisar a Anaisa, nós entramos em contato com a Cemig. Eles enviaram uma equipe ao local, que disse que estavam trabalham para o retorno da energia o mais rápido possível”, relatou.

Entrada da noiva

Antes da cerimônia começar, a energia retornou.

O noivo entrou na igreja acompanhado dos pais e, logo depois, entraram os padrinhos.

Falta de energia leva noiva a entrar em igreja à luz de celulares em Uberlândia (MG)

Quando o último casal de padrinhos entrou, a energia tornou a cair. Neste momento ficamos desesperados, pensando no que íamos fazer. Os músicos conversaram comigo e disseram que a escolha era minha, se esperava a energia voltar ou se dava continuidade à cerimônia”, disse Hudson.

Do lado de fora da igreja, a noiva tentava segurar os nervos. “Quando a luz acabou novamente, eu já estava na porta da igreja. Nesse momento veio o desespero e ao mesmo tempo eu sentia que tinha alguma coisa especial para acontecer no meu casamento. Eu queria entrar, mas estava com medo, porque estava escuro e ninguém ia conseguir me ver”, confessou.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Leia também: 

Anaisa chamou o pai e o irmão, e disse que queria entrar, mesmo com a incerteza se a energia voltaria ou não. Dentro da catedral, os familiares dos noivos tiveram uma ideia. “Nós pedimos para os convidados acenderem as luzes dos celulares, para iluminar a entrada dos pajens e da Anaisa. Todo mundo atendeu ao pedido. Dava para sentir a energia vinda das pessoas, todos torcendo para dar certo. Foi um casamento muito bonito”, contou o noivo.

Outra surpresa

Hudson preparou outra surpresa para sua noiva, além das luzes improvisadas (um show à parte!).

Ele combinou com os clérigos que durante a entrada da noiva, cantaria com a ajuda de fundo de um violonista. Sem energia para utilizar o microfone, o noivo soltou a voz acompanhado também de uma cantora.

“Eu estava ouvindo a marcha nupcial, mas a porta da igreja ainda estava fechada. Quando abriram as portas, eu vi aquele mar de luzes e todos sorrindo para mim. Foi muito encantador, as luzes, o silêncio da igreja e a voz do meu noivo. As pessoas nos corredores me davam palavras de incentivo. Aquele momento foi mágico”, disse Anaisa.

Para deixar a noite ainda mais especial, os convidados se juntaram às vozes dos cantores enquanto eles cantavam o refrão da canção “Aleluia”. “Quando a igreja se uniu à minha voz, não consegui segurar a emoção e abaixei a cabeça e comecei a chorar. Neste momento, a luz voltou e Anaisa estava na minha frente”, afirmou o noivo.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: G1/Foto: Anaisa Mendonça Franqueiro Bessa/Arquivo pessoal

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar