Tricampeão no Parapan, Lauro Chaman relembra começo difícil e enaltece esporte paralímpico

"Me ensinou a ser melhor", disse Lauro Chaman sobre o esporte paralímpico. Ele conquistou seu terceiro ouro em Parapans nos Jogos de Lima e relembra começo difícil.


lauro chaman medalha ouro parapan lima
PUBLICIDADE ANUNCIE

Lauro Chaman ganhou a sua terceira medalha de ouro em Parapans nos Jogos de Lima. Para conquistar o lugar mais alto do pódio, o ciclista entrou na pista de Velódromo de Videna como favorito na prova de perseguição individual da classe C4-5. Para superar o colombiano Diego Dueñas, Lauro fez o sinal da cruz, disparou e venceu.

Mas o início da carreira não foi fácil. Depois de nascer com o pé esquerdo para trás, Lauro passou por uma cirurgia sem sucesso, que o deixou sem o movimento do tornozelo e com a panturrilha atrofiada. Ainda adolescente, passou a disputar provas de mountain bike, se arriscou no ciclismo convencional, mas aos 22 anos entrou para o esporte paralímpico. E essa decisão mudou a vida dele!

“Às vezes eu reclamava por pouca coisa. Às vezes eu reclamava por um celular que caía no chão e quebrava o vidro. Cheguei na paralimpíada e vi uma galera que só mexia a cabeça. Pensei: ‘como sou egoísta às vezes’. O esporte paralímpico me ensinou isso, a ser um ser humano melhor, a dar valor à vida, dar valor às coisas que realmente importam, dar valor a poder abrir o olho todo dia, poder enxergar, fazer um esporte”, disse Lauro.

lauro chaman parapan lima
Lauro Chaman venceu o colombiano Diego Dueñas e levou a medalha dourada no Parapan de Lima. Foto: Saulo Cruz/EXEMPLUS/CPB
lauro chaman medalha ouro parapan lima
Foto: Pedro Maia

Multicampeão

Além de todo esse aprendizado, o esporte também deu para Lauro várias outras conquistas. Ele é bicampeão da Copa do Mundo de paraciclismo, ganhou a prata de estrada e o bronze no contrarrelógio na Paralimpíada Rio 2016, os ouros na estrada e no contrarrelógio de Toronto 2015, e o mais novo ouro em Lima.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Leia também: 10 histórias de brasileiros do Parapan que vão mudar o seu dia

“A gente sonha que o ciclismo possa um dia ser como o atletismo paralímpico hoje, como uma natação paralímpica. Quem sabe um dia a gente vire uma potência como a Grã-Bretanha é, como a Holanda é, como a Itália e outros países, a Colômbia hoje também tem um ciclismo muito forte. Então a gente se espelha neles e sempre pensa em evoluir”, concluiu Lauro Chaman.

Liderança do quadro de medalhas

O Brasil lidera o quadro geral com 229 medalhas! Delas, 90 são de ouro, 75 de prata, e as 64 restantes de bronze. E contando! A bandeira brasileira vai balançar muito nas cerimônias de pódio!!

Acompanhe aqui no Razões e nas redes sociais do Comitê Paralímpico Brasileiro, Instagram e Facebook, nossos paratletas no Parapan de Lima 2019. Estamos na torcida e ansiosos para ver o verde e amarelo no lugar mais alto do pódio – estaremos lá muitas vezes! 🥇🇧🇷

Fonte: Globo Esporte/Foto destacada: Foto: Saulo Cruz/EXEMPLUS/CPB

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar