Pai, mãe e filha realizam juntos o sonho de cursar o ensino superior

Exemplo de superação em família!


Pai, mãe e filha realizam juntos o sonho de cursar o ensino superior
PUBLICIDADE ANUNCIE

Família que estuda unida, permanece unida. Esse é o lema de vida da família Prates. No último dia 18 de fevereiro, Reginara, Luis Carlos e a filha Victorya começaram juntos a realizar o sonho da formação superior.

Os três optaram por cursos na área da saúde da FADERGS, em Porto Alegre, e dizem que o apoio mútuo foi decisivo na hora de retomar os estudos. A maior incentivadora da família sempre foi a mãe, Reginara. Aos 54 anos, ela já tinha abandonado os próprios sonhos para dar voz e vez aos da filha.

Leia também: Pai resolve entrar na faculdade e estudar na mesma sala que filho autista para apoiá-lo

Ao lado dela, o marido Luis Carlos, de 57, também já estava acomodado na aposentadoria quando resolveu trocar o descanso pelas aulas do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). Tudo para incentivar a filha Victorya, 22 anos, caçula de três irmãos, a continuar os estudos.

pai filha mae realizam juntos sonho ensino superior

PUBLICIDADE ANUNCIE

“Eu tinha parado a escola e ele resolveu fazer o Encceja junto comigo para me incentivar”, explica Victorya. Mas o incentivo não parou por aí. Depois veio o Enem, que pai e filha também fizeram juntos. Luis Carlos tomou gosto pelos estudos e resolveu que também iria cursar o ensino superior. “Tudo nasceu da iniciativa de ajudar a Victorya. Aos poucos, a gente foi se fortalecendo e agora vamos juntos para a universidade”, diz Luis Carlos, que vai cursar fisioterapia.

Já a filha optou pela enfermagem. E a esposa, psicologia. Os três vão assistir às aulas na sede João Pessoa da FADERGS. “Com eles indo comigo pra faculdade, o mais difícil vai ser faltar aula”, brinca Victorya.

Uma vida de superação

Desde pequena Reginara tinha o sonho de ser psicóloga, mas nunca pensou que seria possível. “Quando eu era nova achava que jamais ia passar no vestibular. Eu não sabia como era, mas sempre coloquei na minha cabeça que nunca ia conseguir”, conta.

Leia também: Ela venceu o preconceito na faculdade de Moda e hoje é referência

Atualmente trabalha como corretora de imóveis, mas essa nunca foi a profissão que trouxe realização de verdade. Agora “tá sendo um sonho”, como ela mesma define, e ainda ressalta: “Vou poder trabalhar até velhinha. Quando a gente fica mais velha, fica mais experiente”.

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

crédito das fotos: Cassius Souza/FADERGS

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar