fbpx

Vendedora ambulante escreve relato poderoso à pessoas que a olham com nojo por trabalhar na rua

Guerreira é o adjetivo que melhor define essa carioca que não foge da luta.


PUBLICIDADE ANUNCIE

Guerreira é o adjetivo que melhor define essa carioca que não foge da luta. Debaixo de chuva ou de sol, a carioca Julia Joublot é como muitas mulheres brasileiras que ralam para pagar as suas contas, e ela o fez em um relato poderoso no Facebook.

Ela trabalha vendendo água, refrigerante, sacolé e salgados na Avenida Brasil, no Rio de Janeiro. Não bastasse o trabalho pesado, ela ainda tem que colocar homem que acha que “cantada” não é “assédio”,  no seu devido lugar – o lugar da vergonha (!) – e aquelas pessoas que olham para o seu trabalho com “cara de nojo”.

No final do ano passado, Julia fez votos de que 2018 marcará uma mudança na sua vida. E, para isso, ela conta com ajuda das pessoas:

“Como sabem eu trabalho na avenida Brasil para comprar minhas coisas, para comprar o que eu preciso, então meus amigos se alguém souber de algum emprego me comuniquem pq infelizmente vivo entregando currículo e nunca consigo um emprego, quero dar continuidade nos meus estudos e se Deus quiser 2018 será o ano de muita realização”, escreveu Julia no seu perfil do Facebook.

PUBLICIDADE ANUNCIE

O post, que mostra duas fotos de Julia, uma trabalhando e outra nos finais de semana – já tem mais de 91 mil reações e mais de 14 mil compartilhamentos. Nos comentários, chovem palavras de incentivo e elogios à mulher que Julia é.

Não sabemos ainda se Julia conseguiu um emprego novo depois dessa repercussão. Até o fechamento desta matéria, não conseguimos entrar em contato com ela. Traremos mais atualizações em breve!

fotos: reprodução Facebook/Julia Joublot

PUBLICIDADE ANUNCIE

PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar