[VÍDEO] Pesquisadores de BH criam suplemento alimentar que acelera recuperação de beija-flores resgatados

Pesquisadores desenvolveram um suplemento alimentar para beija-flores resgatados e encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Belo Horizonte (MG).

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Uma delas é a estudante de medicina veterinária, Thamiris Freitas, que faz estágio no Cetas e se dedica integralmente aos cuidados com os colibris.

Cerca de oito aves, de três espécies diferentes – cinco Beija-Flor-Tesoura, dois Estrelinha-Ametista e um Bico-Reto-de-Banda-Branca –, foram recebidas, reabilitadas e devolvidas para a natureza.

Thamiris, estudante de medicina veterinária
Thamiris ajudou a desenvolver o novo suplemento alimentar para beija-flores resgatados e encaminhadas ao Cetas de BH. Foto: reprodução/Instagram @thamiwolf

“O manejo de beija-flores em cativeiro é um grande desafio para nossa equipe, considerando todas as particularidades fisiológicas desses animais como: alimentação de néctar de flores e insetos, metabolização da glicose ingerida em cerca de 15 minutos pelo trato gastrointestinal e estado de torpor durante a noite como medida adaptativa de sobrevivência dessas espécies”, explica Thamiris.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

filhote de beija-flor tomando novo suplemento alimentar
Foto: Cetas BH

Levando tudo isso em conta, Thamiris e os pesquisadores dedicaram os últimos oito meses pesquisando sobre a fisiologia dos animais, até chegar a uma receita que apresentou ótimos resultados.

Ela utiliza néctar para beija-flores associado a proteínas, para preencher a necessidade protética dos colibris, muitas vezes, desconsiderada no cardápio das aves. “Usamos como fonte proteica albumina isolada ou whey protein, podendo também, em alguns casos, ser utilizada clara de ovo batida associada ao néctar”, acrescenta.

Espia só esta belezinha se alimentando com o suplemento!

Ajuda profissional

Sabe aquelas histórias de pessoas que encontram algum animal silvestre ferido e leva para casa para oferecer cuidados? A atitude é bacana, porém, o ideal é procurar ajuda profissional logo após o resgate.

No caso do beija-flor, por exemplo, sabia que ele precisa se alimentar de 20 em 20 minutos? É o tipo de conhecimento que só quem estuda a espécie tem. Por isso, muitos beija-flores chegam aos Cetas com problemas nutricionais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

beija-flor azul verde
Foto: Cetas BH

“A preocupação com aquecimento também é presente no manejo desses animais tão pequenos e delicados, principalmente em indivíduos filhotes ou sob tratamento clínico”, diz Thamiris.

No entanto, sabemos que não é toda cidade que conta com um Centro de Triagem de Animais Silvestres. Para ajudar a amenizar o problema, a ONG Waita, que desenvolveu o trabalho de recuperação dos colibris em parceria com o Cetas BH, disponibiliza um número 24 horas para que as pessoas liguem e recebam instruções de profissionais: (31) 9 9462-4867.

É possível, ainda, pedir orientação da Polícia Ambiental mais próxima 😉


Já viu o primeiro episódio do ‘Razões na África’? Dá o play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,638,607SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Patinha com ‘pernas tortas’ ganha boia para nadar com seus amigos e sentir que faz parte de uma família

Mas que coisa mais lindinha! A pata Keeper ganhou uma boia (de pato!) para poder nadar com seus amigos, já que nasceu com uma...

Mãe que superou bullying pesado durante adolescência hoje ensina para filha valores como autoestima e confiança em si mesma

Dificuldade é o sobrenome de Nanda Alves, mas superação é o nome de batismo. Essa jovem carioca, de 24 anos, que foi mãe aos...

Idoso de 70 anos atravessa o Atlântico a remo a fim de arrecadar US$ 1 milhão para pesquisas sobre o Alzheimer

O exemplo deste jovem senhor vem da cidade de Oldham, na Inglaterra. Frank Rothwell, que tem 70 anos de idade, cruzou o Atlântico remando,...

Noiva faz emocionante ensaio ao lado do irmão com síndrome de Down

No início deste mês, a britânica Ashley e Brian Sedar casaram-se em Geneseo, Nova York (EUA). Dias antes, a noiva participou do chamado "first look",...

Nesse hotsite especial agrupamos vagas home office para ajudar você

Por conta do coronavirús, as empresas estão adotando o home office para driblar a crise. Para ajudar você que perdeu ou busca por um...

Instagram