Maratona substitui garrafas plásticas por bolinhas comestíveis de água


Maratona de Londres substitui garrafas plásticas de água por algas comestíveis
PUBLICIDADE ANUNCIE

Os organizadores da 38ª Maratona de Londres ocorrida neste domingo (28), disponibilizaram cápsulas de algas comestíveis para os corredores, a fim de reduzir o número de garrafas plásticas de água no evento.

Voluntários distribuíram mais de 30.000 cápsulas de algas Ooho, uma espécie de película gelatinosa feita de extrato natural de algas marinhas e cloreto de cálcio, que forma uma espécie de envoltório maleável ao redor da água.

A startup londrina Skipping Rocks Lab desenvolveu o produto, que é 100% inodoro, insípido e incolor, além de biodegradáveis, desaparecendo do meio ambiente em no máximo seis semanas caso não seja consumida.

As cápsulas podem ser preenchidas com uma enorme variedade de líquidos, como sucos, energéticos e refrigerantes, mas os fornecidos no domingo foram preenchidos com Lucozade Sport, uma bebida eletrolítica, com grande reposição de sais minerais para os atletas.

Os organizadores da maratona disseram que este domingo foi a “prova de fogo” para o Ooho, afim de testar todo o potencial do produto. Alguns atletas participantes elogiaram a iniciativa e gostaram da praticidade de uso das ‘algas eletrolíticas’.

Leia tambémBares e restaurantes brasileiros começam a abrir espaço para a gastronomia sustentável

As cápsulas de algas comestíveis fizeram sua primeira aparição em uma meia-maratona em setembro do ano passado, em Harrow, um subúrbio de Londres.

Lucy Ashe, vencedora da corrida de Harrow, disse à BBC que as cápsulas ofereciam a “quantidade perfeita de água que você precisa para correr”.

PUBLICIDADE ANUNCIE

Maratona de Londres substitui garrafas plásticas de água por algas comestíveis

Após a Maratona de Londres de 2018, o serviço de coleta de lixo contabilizou 47 mil garrafas de plástico descartadas. Para mudar esse cenário, a prefeitura tomou medidas para tornar a corrida deste ano mais limpa, incluindo a redução do número de estações de bebidas de 26 para 19.

O maratonista Eliud Kipchoge, do Quênia, venceu o evento de 26,2 milhas (cerca de 40 quilômetros) pela quarta vez consecutiva no domingo, no segundo melhor tempo da história.

Sua compatriota Brigid Kosgei chegou à vitória dois minutos mais tarde na maratona feminina.

Eliud completou o percurso em 2 horas, 2 minutos e 37 segundos em um dia chuvoso. O recorde mundial, dele mesmo, foi de 2:01:39.

Leia também“Comecei lavando louça, agora sou auxiliar de cozinha no restaurante”: projeto abre portas para mercado de trabalho

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: Fox News
Fotos: Fox News / Alastair Grant

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar