Taxista tailandês leva pacientes com mobilidade reduzida e idosos ao hospital gratuitamente

Já faz dez anos que o taxista tailandês Suwannachat Phromchat, de 42 anos, tem ajudado pessoas de baixa renda e com mobilidade reduzida usando seu veículo para levá-las às consultas médicas e casos de urgência – tudo de graça.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em entrevista ao portal “Post Today”, Suwan disse que se sente comovido com a situação de muitas pessoas que não conseguem arcar com as despesas de transporte de seus familiares. Disposto a fazer algo para mudar isso, ele se oferece ao menos uma vez por semana para levá-las ao médico.

O taxista trabalha na profissão há mais de 24 anos e nos últimos dez, estima ter ajudado centenas de pessoas, especialmente idosos e com mobilidade reduzida (como cadeirantes).

“Sinto muita empatia pelos mais necessitados, pois tive uma experiência na adolescência que mudou minha perspectiva de vida. Aos 15 anos trabalhei por meses em um barco de pesca, mas meu patrão não me pagou o salário devido. Vi outras pessoas passando por situações de abuso laboral e isso me deixa entristecido”, disse Suwan.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Mais tarde, o tailandês largou a pesca para se tornar motorista. Com a ajuda de amigos, vizinhos e familiares, adquiriu um carro para fazer suas corridas.

Agradecido com a contribuição de todos, ele começou a retribuir ao próximo sempre que podia.

Hoje, cerca de 20% das corridas do taxista são gratuitas. A maior parte delas são para pessoas que precisam de atendimento médico urgente.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além disso, Suwan vai além e também acompanha os pacientes que estão sozinhos até a unidade de saúde, não permitindo que fiquem sozinhos (a não ser que elas queiram).

“Me sinto feliz. Fico feliz fazendo boas ações com as pessoas (…) Se nosso país tivesse mais gentilezas tudo seria mais agradável”, comentou o taxista.

Com a repercussão de sua história na Tailândia, o governo local lhe deu um novo carro para ele trabalhar, além de uma cadeira de rodas para facilitar o deslocamento de deficientes físicos até as unidades de saúde de Bangkok e nas cidades do entorno.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Junto à Stone, viajamos o Brasil para mostrar negócios que muita gente acha que não daria certo na nossa terrinha – e dão! Veja o 8º EP da websérie E se fosse no Brasil?

Fonte: Upsocl
Fotos: Arquivo pessoal

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM







Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,956,757SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Em vídeo fofo, menino vende “obra de arte” da irmã para construir sua casa

Preocupado com a forte chuva que atingiu sua casa, Isaac fez o vídeo para vender o desenho da irmã.

Jovem com Down vai até o túmulo da mãe contar sua conquista: “Eu consegui. Eu me formei hoje!”

Entre todas as pessoas que aplaudiram Paul Marshall Jr. no dia da sua formatura do Ensino Médio, não estava Latonya Marshall, a mãe dele,...

Voluntários de abrigo resgatam filhote de gato que viajou 370 km dentro de motor de carro

Um filhote de gato recém-nascido, com apenas 6 semanas de vida, sobreviveu a uma viagem de 370 quilômetros o País de Gales até Leeds,...

Professor goiano é indicado ao “Nobel da Educação” 2021: ‘Honrado em representar a escola pública’

Cientista, doutorando e professor de matemática: o goiano Greiton Toledo de Azevedo, de Ipameri (GO), se tornou o único representante brasileiro no prêmio "Global...

Instagram