Estudantes constroem e doam andadores feitos de PVC para crianças com deficiência

Alunos e instrutores da Firjan SENAI Nova Friburgo, na região Serrana do Rio, criaram um modelo alternativo de andador para crianças com deficiência.


estudantes construindo andadores feitos PVC crianças deficiência
PUBLICIDADE ANUNCIE

Alunos e instrutores da Firjan SENAI Nova Friburgo, na região Serrana do Rio, criaram um modelo alternativo de andador para crianças com deficiência.

Feito com canos de PVC, o equipamento chega a ser até 18 vezes mais barato que um modelo convencional e ajuda crianças com dificuldades motoras. Enquanto um andador de alumínio pode ser adquirido por até R$ 3 mil, a tecnologia desenvolvida pela turma chegou ao custo de R$ 218,00.

Na tarde da última segunda-feira (20), a turma do curso técnico em Mecânica e Manutenção construiu oito unidades na Casa Firjan, em Botafogo, e doou os protótipos para três entidades: Apae, Santuário Cristo Redentor e Casa do Papai Noel.

Ajude uma mãe que cuida sozinha de filhos com paralisia cerebral

Conforme o instrutor e um dos idealizadores do projeto, Fábio Paredes, o andador, que pode ser utilizado por crianças entre 4 e 12 anos, foi feito com base nos conhecimentos aprendidos em sala de aula como corte, furação e mecânica. “É muito gratificante ver os alunos dar sentido a um projeto e aplicar na prática o que aprendem na teoria”, comenta.

estudantes construindo andadores feitos PVC crianças deficiência

“Para nós está sendo um aprendizado e tanto”

O empenho deu tão certo que o protótipo já foi testado por aluninhos da Apae em Nova Friburgo e aprovado pela fisioterapeuta da entidade, Carla Braga Dias. Segundo a profissional, o dispositivo é essencial no tratamento de crianças, pois permite que os pequenos se locomovam livremente graças às rodinhas. “Outro ganho da utilização do andador é a postura, já que o equipamento faz base nas costas e tem um freio que não deixa as crianças deslizarem para trás”, acrescenta.

Leia também: Ação presenteia crianças com deficiência com andadores de PVC para poderem entrar no mar

PUBLICIDADE ANUNCIE

Satisfeitos com o trabalho realizado ao longo de três meses, os alunos vibram! Exemplo é a estudante Cintia Lorraine Silva, 18 anos, que investiu todas as suas energias para construir os andadores na oficina realizada na Casa Firjan. “Para nós está sendo um aprendizado e tanto. Conseguimos utilizar um material mais barato e construir um equipamento de fácil acesso vai fazer a diferença na vida de quem mais precisa”, conclui a aluna.

A ideia, agora, é que o projeto não fique apenas nos muros da sala de aula e se expanda para o país. Além da doação realizada, a Firjan SENAI deverá disponibilizar o projeto no site. “Nosso objetivo é que o equipamento passe a ser replicado em todo Brasil para que mais crianças que apresentem limitações motoras tenham a oportunidade de se desenvolver”, finaliza o instrutor Fábio Paredes.

estudantes construindo andadores feitos PVC crianças deficiência

Multiplicar a sensação de independência das crianças

A ideia de construir o andador partiu da inquietação de Ana Márcia Hildebrandt, mãe do aluno da Firjan SESI Nova Friburgo, Nicholas, hoje com 15 anos. Quando o filho era pequeno, a utilização do equipamento foi fundamental para ajudá-lo a dar os primeiros passos e conquistar segurança ao caminhar. “Eu estava com aquele andador quebrado em casa sem utilidade há anos e pensei: por que não reformar e depois doar esse andador?”, lembra.

Leia também: Andador virtual e bengala com laser melhoram a vida de pacientes com Parkinson

Foi então que a confeiteira levou o aparato aos instrutores da Firjan SENAI e foi surpreendida: a turma decidiu multiplicar a sensação de independência que o pequeno Nicholas teve graças ao andador e sugeriu a criação de um modelo novo. “Para mim foi um sonho realizado. Só eu sei a dificuldade que meu filho teve para aprender a caminhar e tenho certeza que esses andadores farão a diferença no desenvolvimento de muitas crianças”, conclui emocionada.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fotos: Divulgação

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar