Estudantes criam ‘micro-ondas ao contrário’: gela bebidas em 1 minuto


Estudantes criam 'micro-ondas ao contrário' capaz de gelar bebidas em um minuto no DF
PUBLICIDADE ANUNCIE

Um trio de estudantes de uma escola pública do Distrito Federal desenvolveU um equipamento capaz de refrigerar uma lata de bebida em até 1 minuto. Batizada como ColdStorm (“Tempestade Gelada”, em tradução livre), a invenção foi apelidada como ‘micro-ondas ao contrário’.

Moradores da região do Gama, Adrielle Dantas, Gabrielly Vilaça e Raffaella Gomes estudam no Centro de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional (CEMI) e iniciaram o projeto em 2017.

Na fase de prototipagem, elas precisaram de lixo eletrônico, coolers de computadores (que resfriam os componentes eletrônicos) e pastilhas Peltier (condutores que aquecem ou esfriam objetos).

[Conheça a história da Liliane: mulher, negra, periférica, que conseguiu uma vaga em uma das faculdades mais renomadas do mundo e criou uma vaquinha para custear os estudos, saiba como ajudá-la aqui.]

Estudantes criam 'micro-ondas ao contrário' capaz de gelar bebidas em um minuto no DF

Em 2018, elas levaram o protótipo adiante e participaram do Circuito de Ciências das Escolas Públicas do Distrito Federal e da exposição de ciências da escola e foram classificadas para levar o ‘micro-ondas ao contrário’ para a Exposição de Ciências, Engenharia, Tecnologia e Educação (EXPOCETI), em Pernambuco.

Leia também: 

Na EXPOCETI, que aconteceu no mês passado, o ‘micro-ondas ao contrário’ recebeu diversas premiações.

Adrielle, Gabrielly e Raffaella faturaram o primeiro lugar na área de engenharia e receberam certificado de destaque da Faculdade Imaculada Conceição de Recife e da World International Fairs Association (WIFA).

PUBLICIDADE ANUNCIE

As estudantes retornaram para o Distrito Federal com um carta-convite para a Muestra Cientifica Latino-americana (MCL), em Trujillo, no Peru. O encontro vai ocorrer entre os dias 9 e 15 de setembro deste ano.

Chances de mercado

Credenciadas para a Mostra Científica no Peru, as meninas precisam concluir o ColdStorm, que ainda é um protótipo.

Para isso, Gabrielly Vilaça, uma das desenvolvedoras do projeto, afirma que o grupo precisa de recursos financeiros para lançar a versão final, além de dinheiro para arcar com os custos de deslocamento.

“Após a EXPOCETI, surgiram várias ideias para melhoria baseadas em sugestões de avaliadores”, diz a estudante. Para pôr em prática as recomendações, elas criaram uma vaquinha online.

“Estamos focadas em duas coisas: reconstrução e melhoria do protótipo e arrecadação de fundos para pagar a viagem ao Peru.”

Estudantes criam 'micro-ondas ao contrário' capaz de gelar bebidas em um minuto no DFA professora Maria Zilma Conceição de Araújo, que trabalha no CEMI e acompanha a criação do ‘micro-ondas ao contrário’, a invenção das estudantes tem futuro. “Comercialmente falando, acredito que o ColdStorm tem potencial de mercado. Principalmente por conta da economia energética que é a proposta final do projeto.”

Segundo Maria, as meninas têm a combinação perfeita de perfis. “As meninas são curiosas, estudiosas e estão cientes dos desafios que tem que enfrentar”, afirma.

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: G1/Fotos: Reprodução/Gabrielly Vilaça

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar