Fonoaudióloga cria aplicativos para crianças autistas e com dificuldade na fala


Fonoaudióloga cria aplicativos para crianças autistas e com dificuldade na fala 1
PUBLICIDADE ANUNCIE

É crescente o número de pessoas no mundo que faz uso dos recursos tecnológicos disponíveis nos aparelhos de smartphones e/ou tables disponíveis no mercado. E é nesse universo que a Fonoaudiologia está pegando carona. Desde 2009, a fonoaudióloga baiana, Bárbara Fernandes, desenvolve aplicativos para crianças com problemas na voz, linguagem, gagueira e autismo.

Residindo nos EUA há nove anos, a profissional conta que começou a criar aplicativos depois que atendeu uma criança com autismo. A partir daí decidiu unir a Fonoaudiologia à área tecnológica e fundou a empresa Smarty Ears, referência na área.

Cada aplicativo tem suas atividades específicas, mas, em comum, tem o fato de misturarem os diferentes sentidos, com estímulos visuais, auditivos e táteis, facilitando o aprendizado da criança.

O Aprendendo Adjetivos, por exemplo, ajuda os alunos a aumentarem seu vocabulário, fortalecendo a gama de opções de seu sistema linguístico. Nele, as crianças precisam diferenciar palavras contrárias – como vazio e cheio, animado e entediado, velho e jovem – e pronunciá-las. Os pais e fonoaudiólogos podem acompanhar o progresso da criança e o tempo que ela passa na plataforma. Bárbara conta que a procura por esse app foi tão grande, inclusive por pais de crianças sem nenhum tipo de dificuldade, que uma semana após o lançamento ele passou a estar entre os dez apps educativos mais vendidos do iTunes em um universo de 3.000 produtos. Hoje, ela tem cinco entre os 200 mais vendidos.

Para Bárbara, parte desse sucesso pode ser explicado pelas vantagens dos próprios dispositivos móveis. Uma delas é que os exercícios não ficam presos aos momentos com o especialista. Assim, os pais podem participar com mais frequência das atividades, o que aumenta as chances de elas trazerem resultados positivos rapidamente – e tudo isso a um preço relativamente baixo: cada app custa R$ 19,99. “Com o iPad, o pai pode levar a terapia para casa. Ele não precisa mais ficar preso às sessões semanais de fonoaudiologia, que duram só uma hora”, diz Bárbara. Conheça alguns apps disponíveis aqui.

Veja o vídeo que mostra todos os aplicativos disponíveis:

PUBLICIDADE ANUNCIE

01 02 03

 

Via Porvir e Crefono

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar