USP desenvolve dispositivo capaz de acabar com dor da fibromialgia


USP desenvolve dispositivo capaz de acabar com dor da fibromialgia
PUBLICIDADE ANUNCIE

Desenvolvido pelo Instituto de Física da Universidade de São Paulo, um dispositivo conjuga tecnologia laser e ultrassom para amenizar dores causadas pela fibromialgia; testes feitos na palma das mãos cessou dores de pacientes em 90% dos casos.

A pesquisa é conduzida por cientistas e professores do Grupo de Óptica do Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), cujo tratamento inovador contra a fibromialgia conseguiu acabar com a dor de quase todos os pacientes em testes preliminares.

O pesquisador Antonio Eduardo de Aquino Junior, que lidera a pesquisa, ressalta que não se trata de curar a doença, considerada crônica, mas reduzir a dor causada por ela, melhorando a qualidade de vida dos pacientes.

“Com o tratamento, há pessoas que ficaram períodos de 30 dias sem nenhuma dor e outras, até 3 meses”, afirma.

USP desenvolve dispositivo capaz de acabar com dor da fibromialgia
O tratamento Foto Sônico é aplicado nas mãos, mas causa efeito em todo o corpo. Foto: Divulgação / Assessoria de Comunicação/IFSC/USP

“O tratamento evita o uso de uma gama de medicamentos, como analgésicos, anti-inflamatórios e antidepressivos, comumente utilizada para esse problema”, completa.

Leia tambémUSP retira coágulo de artéria no cérebro e devolve movimentos a vítimas de AVC

A fibromialgia é caracterizada por dores em até 18 pontos no corpo, de forma simétrica. Entre os outros sintomas estão fadiga crônica e sono não-reparador. É uma doença de causa desconhecida, associada ao sistema nervoso central e ao mecanismo que controla a dor.

Tratamento Foto Sônico une ultrassom e laser

PUBLICIDADE ANUNCIE

Batizado na USP de “tratamento foto sônico”, o equipamento considerado pioneiro mundo afora é coordenado pelo professor Vanderlei Bagnato e desenvolvido pela equipe do Instituto de Física da universidade.

Ele é capaz de realizar a aplicação conjugada do ultrassom e do laser terapêutico, que é de baixa intensidade. O algoritmo e o sistema de funcionamento do aparelho são considerados inéditos de acordo com o pesquisador.

“Os pacientes com fibromialgia contêm um número maior de células sensoriais nas mãos do que as pessoas que não têm a doença. Então, utilizamos as palmas das mãos como porta de entrada para o tratamento. A ação luminosa em contato com o tecido celular produz ATP, que é energia. Como consequência, diminui a fadiga do paciente. Apesar da aplicação ser somente nas palmas das mãos, o efeito do tratamento é sistêmico, ou seja, atinge todo o corpo”, explica.

Vanderlei afirma que a conjugação das aplicações do laser e do ultrassom potencializam a ação anti-inflamatória de ambos os recursos, de modo a promover maior equilíbrio do organismo e das partes afetadas, desta forma, controlando a dor.

Segundo a USP, o equipamento tem previsão de chegar às clínicas e instituições médicas até a segunda metade deste ano.

Até aqui, existem dois pontos de atendimento disponíveis para o público, em São Carlos, a 230 km de São Paulo.

O primeiro ponto é a Unidade de Terapia Fotodinâmica, na Santa Casa da Misericórdia de São Carlos. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (16) 3509-1351. As sessões são gratuitas. O outro local é a clínica Multifisio, onde é cobrada uma taxa simbólica de cerca de R$ 40. O telefone de contato é (16) 99762-7273.

Leia tambémProfessora da USP encontra maneira de ensinar anatomia para aluna deficiente visual

Compartilhe o post com seus amigos!

  • Siga o Razões no Instagram aqui.
  • Inscreva-se em nosso canal no Youtube aqui.
  • Curta o Razões no Facebook aqui.

Fonte: R7

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar