Terapia com oxigênio pode frear ou até reverter pacientes com Alzheimer, afirma novo estudo

O Alzheimer pode ser interrompido ou mesmo revertido por meio de uma terapia de oxigênio administrada a pacientes em salas pressurizadas, sugere um novo estudo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pesquisadores israelenses estudaram 6 pessoas mais velhas com deficiência cognitiva leve, um estágio inicial de perda de memória que é um precursor da forma mais comum de demência.

Seus sintomas melhoraram depois de 5 tratamentos de 90 minutos de oxigênio por semana durante três meses, descobriram os cientistas.

Antes e depois do tratamento.

O tratamento – chamado de oxigenoterapia hiperbárica (OHB) – envolve os pacientes inalando oxigênio por meio de uma máscara em uma câmara pressurizada. É usado por atletas para ajudá-los a se recuperar mais rapidamente e por celebridades para combater o estresse.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além disso, aumenta significativamente a quantidade de oxigênio nos tecidos corporais, o que os defensores dizem que estimula a cura.

E quando o tratamento foi administrado em ratos, ele removeu as placas amilóides do cérebro, que são um sinal revelador do Alzheimer.

Os especialistas acreditam que a terapia funciona alterando a estrutura dos vasos no cérebro e aumenta o fluxo sanguíneo. A redução do fluxo sanguíneo para o cérebro já foi associada ao início da demência.

A demência – que é o nome dos sintomas associados ao declínio contínuo da memória – é a maior causa de morte no Reino Unido e alguém desenvolve a doença a cada três minutos, de acordo com a Sociedade de Alzheimer. Atualmente não há cura.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Cerca de 850.000 britânicos têm a doença – com um e seis deles com mais de 80 anos – e o número deve chegar a 1,6 milhão em 2040.

Enquanto isso, mais de seis milhões de pessoas nos Estados Unidos têm Alzheimer, cujas taxas também devem dobrar nos próximos 20 anos.

O estudo, publicado na revista Aging, examinou seis pacientes com cerca de 70 anos que não tinham Alzheimer, mas sofriam de uma grave perda de memória chamada MCI, que pode atuar como um sinal precoce do Alzheimer.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os pesquisadores administraram 60 sessões diárias de OHB ao grupo ao longo de três meses e mediram o fluxo sanguíneo em seus cérebros antes e depois por meio de uma ressonância magnética.

Os voluntários também realizaram testes de memória antes e depois do tratamento. Após as sessões de HBOT, os pesquisadores detectaram aumentos “significativos” de 16% a 23% por cento no fluxo sanguíneo em várias partes do cérebro.

Isso sugere que o tratamento expandiu a largura dos vasos sanguíneos e reduziu a espessura das paredes dos vasos sanguíneos, disseram os especialistas. E os participantes pontuaram 16,5% a mais nos testes de memória subsequentes, 6% a mais na concentração e 10,3% a mais no processamento de informações.

“Pacientes idosos que sofrem de perda  de memória no início do estudo revelaram um aumento no fluxo sanguíneo cerebral e melhora no desempenho cognitivo, demonstrando a potência da oxigenoterapia para reverter essa doença”, comemorou o professor Uri Ashery, especialista em neurobiologia da Universidade de Tel Aviv.

Veja também:

Fonte: Daily Mail UK
Fotos: Reprodução / DMUK

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,238,290SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Motoboy de SP que cortou cabelo de morador de rua sonha ter sua própria barbearia

Johnny Galdino trabalha como motoboy em uma pizzaria. Certo dia, ele foi abordado pelo Sr. Sebastião, um morador de rua que pediu algo para...

Gêmeas separadas há dois anos se reencontram após serem adotadas por um casal na BA

Ana e Júlio são de Feira de Santana (BA), estão casados há 10 anos e a história da família deles dá um enredo de...

A brasileira que largou tudo para visitar 40 países antes dos 40 anos

Quem nunca teve vontade de largar tudo para viver novas experiências em lugares onde nunca esteve antes, só em pensamento? De poder evoluir como...

Morador planta videira de ‘enfeite’ e hoje fornece uva pra toda a vizinhança

O Seu Luiz, de Pato Branco (PR), divide a safra com os vizinhos.

Instagram