Texto de Gregório Duvivier falando sobre o amor por sua ex, Clarice Falcão, deixa a web apaixonada

Vamos começar a semana com palavras doces e de amor? Hoje o Gregório Duvivier utilizou sua coluna na Folha de S. Paulo para falar sobre seu relacionamento com Clarice Falcão de uma forma muito sensível e carregada de sentimento, revivendo a trajetória do romance deles, do começo ao término.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Conheci ela no jazz. Essa frase pode parecer romântica se você imaginar alguém tocando Cole Porter num subsolo esfumaçado de Nova York. Mas o jazz em questão era aquela aula de dança que todas as garotas faziam nos anos 1990 –onde ouvia-se tudo menos jazz”. Duvivier diz que quando ia buscar a irmã na aula, já observava a “desajeitada” Clarice. “Quando as meninas se jogavam no chão, ela ficava no alto. Quando iam pra ponta dos pés, ela caía de joelhos. Quando se atiravam pro lado, trombavam com ela que se lançava pro lado oposto”, brinca Gregório.

Ele enalteceu algo bastante presente no relacionamento: as maravilhosas conversas do casal, que as vezes eram tão incríveis que deixavam queimar o risoto: “Vimos todas as séries. Algumas várias vezes. Fizemos todas as receitas existentes de risoto. Queimamos algumas panelas de comida porque a conversa tava boa. Escolhemos móveis sem pesquisar se eles passavam pela porta.”

E ainda fala sobre o quão a convivência com ela lhe deixou uma pessoa melhor e mais atenta às diversas questões que antes ele não tinha conhecimento: “Das dez músicas que mais gosto, sete foi ela que me mostrou. As outras três foi ela que compôs. Aprendi o que era feminismo e também o que era cisgênero, gas lighting, heteronormatividade, mansplaining e outras palavras que o Word tá sublinhando de vermelho porque o Word não teve a sorte de ser casado com ela.”

Quando ele começa a falar do término da relação, Gregório não poderia ser mais sincero. “não foi fácil. Choramos mais que no final de “How I Met Your Mother”. Mais que no começo de “Up”. Até hoje, não tem um lugar que eu vá em que alguém não diga, em algum momento: cadê ela?”. (Leia o texto na íntegra aqui)

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O fato é que essa declaração despretensiosa de um amor que nasceu e se transformou em outra forma de amor está mexendo com a web. No Twitter, a palavra “Gregório” já amanheceu nos trending topics. Veja abaixo algumas das reações mais inusitadas:

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foto de Capa: Rafael Cusato/ Brazil News / via

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,773,760SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Mais 68 bebês nascem com anticorpos contra a Covid-19, revela pesquisa inédita da UFMG

Uma pesquisa inédita da Faculdade de Medicina da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) identificou 68 bebês que nasceram com anticorpos para a Covid-19...

Mulher salva 15 mil meninas de mutilação genital no Quênia

Nice Nailantei Leng'ete foi nomeada uma das pessoas mais influentes do mundo pela revista Time.

JK Rowling anuncia doação de R$ 76 milhões para pesquisa e cura da esclerose múltipla

A doação de Rowling foi projetada para garantir a participação dos principais pesquisadores que buscam uma cura para a EM.

Médico negro atende mulher negra e reafirma a importância da representatividade

"Obrigado por me dar a honra de presenciar esse momento da sua vida, Dona Eunice."

Menina escreve carta pedindo para Deus tomar conta de sua cadelinha que morreu e ‘recebe’ resposta emocionante

Meredith de apenas 4 anos, perdeu sua cadelinha de 14 anos, Abbey. A menina ficou muito triste e pediu para sua mãe se podia...

Instagram