Com ‘campo tátil’, amigo intérprete ajuda torcedor surdocego a acompanhar título do São Paulo

O São Paulo estava há nove anos sem ganhar sequer um título, mas a vitória sobre o Palmeiras por 2 a 0, no último domingo (23), colocou um ponto final a este jejum. A conquista do Campeonato Paulista teve um gosto diferente para o tricolor Carlos Santana Júnior, 34 anos, que acompanhou o primeiro triunfo da equipe desde que ficou cego.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com a ajuda de um ‘campo tátil’ e seu amigo e guia-intérprete de Libras, Hélio Fonseca, Carlinhos conseguiu sentir as jogadas da partida que levaram aos gols de Luan e Luciano. Em entrevista ao Portal G1, Hélio, que é corintiano, conta que a vitória é uma injeção de ânimo para o amigo em épocas de pandemia.

“Foi o primeiro título que ele presenciou do São Paulo desde quando ficou completamente cego. Foi uma partida emocionante e significativa para ele porque, desde o início da pandemia, ele andava bastante triste. […] O São Paulo é das poucas alegrias no dia a dia dele.”

Graças a Hélio, que criou o campo tátil’ de Carlos, o são paulino consegue sentir as emoções da partida. O interprete explica que viu a ideia em prática com um torcedor do Santos, que também é surdo e cego. A engenhoca permite que Carlos sinta por onde a bola passa em todo o gramado e entenda as jogadas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Torcedor do São Paulo tem Síndrome de Usher

Surdocego segurando campo tátil
Com a vitória do São Paulo por 2 a 0 sobre o Palmeiras, Carlinhos pôde comemorar seu primeiro título após ficar cego. Foto: arquivo pessoal

Carlinhos é portador da Síndrome de Usher, uma doença genética que afeta o sistema auditivo e pode também interferir na visão. No caso do tricolor, apenas aos 22 anos, já na vida adulta, que a síndrome fez com que ele perdesse totalmente a visão.

Criado há poucos anos, o ‘campo tátil’ permitiu que Carlinhos entrasse na partida como toda a nação tricolor. E como todo apaixonado por seu time, a conquista de um caneco é um daqueles dias marcantes na vida.

“Após o fim da partida, ele contou que foi uma das maiores alegrias dele nos últimos tempos. E eu fico muito feliz de ter podido proporcionar essa emoção, não só por causa da pandemia e amizade, mas por poder colocar a minha profissão em prática de verdade e ajudar quem realmente precisa”, concluiu Hélio.

Certamente, Carlinhos espera que o São Paulo não fique tanto tempo na fila novamente. Que o tricolor paulista conquiste muitos títulos para esse torcedor para lá de especial possa comemorar e vibrar junto!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer conhecer mais histórias inspiradoras? Dá o play!

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM




Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,843,411SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovens acolhem idosa que disse sentir falta das suas amigas

A senhora disse que as garotas lhe trouxeram lembranças do tempo em que ela também se arrumava com suas amigas para sair.

Bebê autista se apaixona pela Branca de Neve e a gente se derrete de amor

Jackson, de apenas dois anos, é um bebê autista e muito tímido com estranhos, segundo sua mãe, a fotógrafa americana Amanda Coley. Porém, ele vem comprovar de...

Escola abre portas para alunos à noite para mantê-los fora das ruas

Quando adolescentes, muitos de nós mal podíamos esperar para o último sinal da escola tocar e enfim, podermos voltar para casa. Entretanto, esse não...

Orangotango beija barriga da mulher grávida em jardim zoológico britânico

É comum ler ou ver por aí, demonstrações de que os animais tem grande instinto maternal ou paternal. E a cena que aconteceu, por...

Professora imita penteado de aluna e encoraja sua autoestima

Leigha prometeu a uma de suas alunas que iria 'copiar' o penteado de trança com coque da pequena – que ela tinha acabado de adotar – porque achou seu estilo 'o máximo'.

Instagram