Torcida se desculpa da melhor maneira por canto homofóbico contra rival em estádio paraense

O jogo Paysandu x Remo, maior clássico do futebol paraense, é recheado de provocações das torcidas dos dois lados. Muitas dessas provocações são homofóbicas, mas aconteceu um pedido de desculpa, depois de anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A Banda Alma Celeste é uma das torcidas mais tradicionais do Paysandu. Ela movimenta as arquibancadas com músicas de apoio para o clube. Nos jogos contra o Remo, uma das músicas mais cantadas diz: “O leão é gay, o leão é gay”. O grito se refere ao mascote do Remo, um leão e ainda: “Ô ô ô, todo viado que eu conheço é bicolor, ô ô”. Quem era remista se referia ao rival como Gaysandu e quem era bicolor preferia o termo Gay Leão para falar do Remo.

Mas, esses dias acabaram, para o bem do esporte. No mês passado, a torcida emitiu uma nota na sua página no Facebook dizendo que o canto “O leão é gay” será abolido e pedindo desculpas pelo comportamento homofóbico.

Leia também: O que acontece quando pastores se encontram com uma drag e uma trans?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Erramos durante vários anos”, dizia a nota, “propagando cantos homofóbicos disfarçados de rivalidade. Em decisão tomada em uma das nossas reuniões mensais, viemos comunicar que músicas e manifestações de cunho racial/homofóbico estão extintas do nosso repertório, entre elas a famosa música que chama o mascote de gay”.

Alguns dias depois, a Banda Alma Celeste estendeu a bandeira do arco-íris na partida do Paysandu contra o Santos, pela Copa do Brasil.  A ação causou diversos tipos de reações na torcida. A maioria dos torcedores ficou surpresa, alguns deram apoio, e claro, os rivais aproveitaram para fazer provocações.

“A gente sabia que o gesto não seria unanimidade, mas era importante fazer isso para começar uma discussão e uma reeducação”, disse um dos membros da Banda Alma Celeste ao site UOL.

Torcedor do Remo, o fotógrafo Salim Wariss disse apoiar esse tipo de iniciativa e cobra que seu time faça o mesmo. “É uma atitude louvável e você não percebe nada parecido no nosso lado”, afirma.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foto: César Magalhães/Divulgação

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,434,652SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Após se curar de câncer raro, mulher é pedida em casamento enquanto toca o ‘sino da esperança’

Depois de 2 anos de luta, Keila do Rosário, 32 anos, terminou seu tratamento de linfoma de Hodgkin, câncer no sistema linfático. Assim que...

‘Amor Postal’: projeto envia cartas de amor para as pessoas

Já pensou que romântico receber na sua caixa de correios cartas contando histórias de amor? É o que faz o projeto “Amor Postal”, idealizado pela empreendedora artística e cultural Alana Menk.

Com 20 anos, mulher trans quebra barreiras e inspira milhares de pessoas

Em 2016, Piyah continua atualizando suas redes sociais com tudo um pouco. Verdades, músicas, família, o novo namoro e tudo o que possa inspirar e empoderar a todos.

Av. Paulista será aberta aos domingos apenas para pedestres e ciclistas

A medida já vale para o próximo domingo, 18, conforme a gestão municipal. O anúncio foi feito pela Prefeitura nessa quinta-feira, 15. A Avenida...

Em vídeo viral, cachorrinha ‘conhece’ o Pato Donald e se emociona; assista!

Desde sua publicação, na sexta-feira (20), o vídeo já conta com mais de 7 milhões de visualizações, milhares de curtidas e retuítes.

Instagram