Travesti é aprovada em 1º lugar em universidade federal

O preconceito contra pessoas transexuais e travestis é um dos maiores obstáculos para a sua inserção social em diferentes esferas. A aprovação da travesti Amanda Palha, 28 anos, em primeiro lugar pelo Sisu (Sistema de Seleção Unificada) no curso de Serviço Social da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) é um tapa na cara da sociedade, que associa essas pessoas à prostituição, criminalidade, drogas, etc., e não acreditam que elas possam frequentar esse tipo de espaço.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Amanda compartilhou a conquista no Facebook na segunda-feira (18):

Aprovada! <3(e em 1º lugar o.O )

Publicado por Amanda Palha em Segunda, 18 de janeiro de 2016

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Eu não via muito sentido em fazer uma faculdade”, disse em entrevista ao HuffPost Brasil. “A gente sabe que o mercado de trabalho é fechado para gente, independente de ser formada ou não.”

Amanda não pretendia continuar os estudos depois de concluir o ensino médio, mas mudou de ideia com o tempo. A escolha do curso foi influenciada por um emprego na área de serviço social em São Paulo, ajudando pessoas em situação de rua.

“Foi a primeira vez que uma carreira que me fez falar, ‘nossa, para isso eu estudaria. Me daria tesão para fazer uma faculdade’. Isso foi fundamental”, explica.

“Nos últimos dois, três anos, comecei a prestar o vestibular, mas me esforçando mesmo, sem muito sucesso. Até passei para a segunda fase da Fuvest no ano passado, mas acabei tendo uma crise de pânico e não fui fazer a prova.”

Ainda em 2015, Amanda fez um curso de formação política que foi importante na prova do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que permite concorrer a vagas no ensino superior pelo Sisu.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Amanda pretende seguir carreira acadêmica, fazer mestrado e doutorado após a graduação. “Eu tenho muito interesse em pesquisa. Tenho bastante proximidade com estudos de economia política e gênero”, disse. Ela tem muitos planos:

“Os estudos de gênero carecem de uma perspectiva contemporânea das questões de transexualidades e travestilidade. Desenvolver esse conteúdo pode ser muito benéfico para que a gente possa pensar a situação política dessa população de outra forma. E na atuação profissional de fato, porque a gente sabe que transexuais são parte significativa da população de rua. A atuação profissional de assistentes sociais bem preparados para lidar com a questão é fundamental. Isso faz um diferencial gigante.”

A aprovação para Amanda não é exatamente uma vitória, mas o começo de um trajeto.

“Ela pode ser uma vitória para nossa população a partir do que a gente vai fazer com isso. A mera inclusão de pessoas trans na faculdade não significa muita coisa se existir isoladamente”, explica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“O que pode efetivamente provocar mudança é o que essas pessoas [trans] que estão entrando na faculdade vão fazer com a ocupação desse espaço, produzir conhecimento para nossa população, capacitar profissionais que lidem com nossa população.”

“Sou bastante crítica a respeito disso. O que faz diferença é o que a gente faz dentro espaço. Por isso que eu não acho que é uma vitória ainda, é um começo. A partir daí, começa a batalha de verdade nesse espaço. E, talvez, as outras vitórias venham. Por enquanto, é um começo de trajeto.”

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,565,291SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Em Goiás, idoso de 96 anos se ajoelha para agradecer por vacina contra covid-19

A imagem de um idoso de 96 anos se ajoelhando para tomar a vacina contra o novo coronavírus emocionou internautas nesta na quarta (10)....

Fotógrafo faz ‘newborn invertido’ do pai dele e nos lembra de algo importante

"Quem cuidou de você um dia hoje precisa de você."

Mulher desaba de alegria ao ver seu cachorro andar novamente

Sammi é um cachorrinho que sofre com uma rara doença degenerativa que altera o tamanho do pescoço e coluna - o que acabou lhe...

Estação de trem japonesa se mantém ativa para levar uma única passageira à escola

A educação no Japão é tão valorizada que a estação de trem Kami-Shirataki, que fica na ilha de Hokkaido, era pra ser desativada há...

Pela segunda vez, banqueiro paga faculdade de estudantes

Pela segunda vez, um banqueiro bem-sucedido se ofereceu para pagar a faculdade para estudantes do Ensino Médio.

Instagram