Trocas de cartas cria laços afetivos entre idosos e crianças

Mais do que uma simples troca de experiências, as cartas proporcionaram uma troca intensa de carinho e afeto entre duas gerações separadas no tempo por quase um século.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, durante dois meses, 19 idosos de um prédio residencial de Pinheiros, em São Paulo (SP), receberam e enviaram cartas para 19 estudantes de 7 a 9 anos do colégio Santa Amália.

“O idoso tem um ganho de autoestima ao transmitir conhecimento, tem uma oportunidade de criar uma relação nova com alguém de uma geração diferente”, diz Rosa Yuka Sato Chubaci, do curso de gerontologia da USP (Universidade de São Paulo), idealizador do projeto.

Já para a coordenadora da escola, Adriane Ideta, projeto também ajudou as crianças a praticarem um gênero textual com o qual elas não tinham familiaridade, e puderam obter mais informações sobre as necessidades e vontades das vovós e dos vovôs.

Leia também: Em uma experiência inspiradora, crianças transformam o dia a dia de um asilo em SP

Os temas das cartas foram selecionados previamente: uma apresentação do autor e de sua família, um relato sobre momentos inesquecíveis e planos para o futuro. As correspondências foram enviadas primeiro pelas crianças, que usaram pseudônimos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Não estava nos planos um encontro presencial entre as duas gerações, mas a vontade delas era tão grande, que, no final de abril, uma festa no Lar San’ana reuniu as crianças e os idosos, num dia que selou para sempre a amizade deles com muitos abraços, beijos e lágrimas de felicidade.

“Minha mãe só falava na Paz [apelido usado por Daniela] e queria demais conhecê-la. Não imaginei que as cartas seriam algo tão relevante como se tornaram: estímulos de valorização da vida e criação de respeito entre gerações”, conta Maria Angélica Giannini Guglielmi, 53, filha de dona Angelina.

A mãe da menina “Paz”, Cirlei Oliveira Zanatta, diz que a filha não tem muito contato com pessoas idosas. O seu únivo avô mora longe de São Paulo. “No dia de conhecer a dona Angelina, mesmo não tendo ideia de como ela era fisicamente, a Daniela a reconheceu entre outras pessoas. Foi algo inesquecível. Elas criaram um vínculo verdadeiro”, afirma.

Apesar do projeto ter terminado, as crianças e os idosos continuam trocando mensagens, todas escritas à mão. E, agora, também há envio de presentes e visitas às vovós e vovôs.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,274,824SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Desconhecida salva garota de um sequestro fingindo ser sua mãe

Você já parou para pensar que, quando estamos atentos ao que acontece à nossa volta, podemos salvar uma vida? Neste caso, prevenir um sequestro. E...

Jovem que não tinha par para ir ao baile de formatura leva sua adorável gatinha

O baile de formatura é um dos momentos mais esperados pelos jovens. Marca o fechamento de um ciclo e o começo de uma etapa...

Homem compra caminhão inteiro de flores para que residentes de asilo façam seus próprios buquês

Com gentileza o mundo vai longe! No Canadá, um homem decidiu transformar o dia de velhinhos residentes de um asilo, levando mais alegria às...

Isolada em casa, vovó canta “parabéns pra mim” em vídeo apaixonante

A vovó Norma comemorou seu aniversário isolada do resto do mundo por conta do coronavírus. Não que isso tenha sido um problema para ela: com...

Cabra se recusa a comer depois de ter sido separada de seu melhor amigo, um burro

A cabra chamada Mr. G chegou ao Animal Place’s Rescue Ranch, na Califórnia, totalmente mal. Não comia há seis dias e só ficava em um...

Instagram

Trocas de cartas cria laços afetivos entre idosos e crianças 3